PCP: o que é o planejamento e controle da produção

Atualizado em 15/05/20 - Escrito por Thiago Leão na(s) categoria(s): Produção

Chão de fábrica

PCP (Planejamento e Controle de Produção) é um processo para auxiliar o gerenciamento da produção de uma indústria. Com ele a empresa consegue: planejar quando produzir, quanto produzir, onde produzir, em que ordem produzir e verificar se tudo está funcionando de acordo com o plano.

Em uma fábrica o PCP é fundamental para garantir que a empresa está de fato produzindo os melhores produtos, da melhor forma e de acordo com um planejamento feito previamente.

Afinal, se a indústria não planejar, programar e controlar a produção, terá dificuldade para se manter competitiva e com a qualidade desejada.

Neste artigo você vai entender o que é o PCP, quais são os benefícios do PCP, quais são as etapas do PCP e como um sistema de PCP funciona.

Confira:

PCP - o que é pcp - Planejamento e controle da produção

Benefícios do PCP

Um bom PCP traz diversos benefícios para uma indústria. Recentemente o Engenheiro de Produção e implantador da Nomus, Arthur Leão, escreveu uma lista de benefícios do PCP.

Confira a lista:

  • Planejamento e controle da produção de forma eficaz;
  • Organização de matérias-primas para que estejam disponíveis assim que necessárias durante a produção;
  • Melhora o fluxo de materiais na linha de produção;
  • Contribui para a redução no investimento em inventário;
  • Permite que os gestores tomem decisões mais assertivas;
  • Otimiza a produtividade dos colaboradores;
  • Otimiza a produtividade de máquinas e equipamentos;
  • Ajuda a monitorar e controlar o desempenho da produção;
  • Reduz perdas na produção e desperdícios em geral;
  • Diminui os custos operacionais da empresa;
  • Ajuda a manter o nível de estoque em níveis ideais;
  • Otimiza o período de produção e ajuda a manter o tempo de produção em um nível ideal;
  • Aumenta a qualidade dos produtos fabricados;
  • Reduz o tempo ocioso;
  • Otimiza a capacidade produtiva da empresa;
  • Organiza os cronogramas de produção da fábrica;

Objetivos do PCP

De acordo com o mestre em engenharia de produção, Marcos Chaves, o PCP tem 4 grandes objetivos, sendo eles:

  • Programação da produção;
  • Carregamento de máquinas e postos de trabalho;
  • Sequenciamento e priorização da produção;
  • Monitoramento da produção.

O PCP atende esses objetivos respondendo as seguintes perguntas:

  • Quando produzir?
  • Quanto e onde produzir?
  • Em que ordem produzir?
  • A execução está seguindo o planejamento?

Vou detalhar brevemente como que cada um funciona:

1º objetivo – Programação da produção: “quando produzir?”

O primeiro objetivo do planejamento e controle da produção é justamente programar a produção.

A programação da produção é a ação de avaliar a demanda total a ser produzida pela fábrica e então determinar quando cada atividade produtiva será executada.

De forma básica, existem duas maneiras para a programação da produção:

  • Programar a produção para frente
    • Aqui o objetivo é minimizar o prazo de entrega e funciona programando a execução das tarefas para o primeiro momento em que os recursos estejam disponíveis.
  • Programar a produção para trás
    • Aqui o objetivo é minimizar os recursos e tempo alocado. Funciona determinando qual momento a tarefa deve estar concluída e então programando as tarefas para que essa data seja atingida.

2º objetivo – Carregamento de máquinas e postos de trabalho: “quanto e onde produzir?”

A programação da produção só pode ser cumprida se os postos de trabalho e as máquinas tiverem suas capacidades definidas. Dessa forma a indústria pode saber quanto e onde produzir.

De forma geral, a fábrica pode definir o carregamento de duas formas:

  • Carregamento finito
    • Aqui cada etapa do processo produtivo tem sua capacidade medida e considerada. Deve-se estudar se a capacidade do centro de trabalho suportará a demanda planejada para a produção e assim programar cada etapa produtiva.
  • Carregamento infinito
    • Aqui é mais uma visão de grosso modo. Muitas empresas possuem diversas programações possíveis em cada momento e por isso é inviável calcular o carregamento de cada máquina e posto de trabalho.

      O recomendado então é utilizar o carregamento finito apenas para o posto gargalo da produção e o carregamento infinito para os demais centros de trabalho.

3º objetivo – Sequenciamento e priorização da produção: “em que ordem produzir?”

Nesta etapa o objetivo do PCP é sequenciar a produção e determinar qual a melhor ordem para executar as operações.

É comum acontecer de diferentes produtos compartilharem a mesma etapa produtiva ou ainda usarem o mesmo equipamento na produção. Sendo assim, é preciso determinar quais produtos terão prioridade maior e menor.

Normalmente os gestores usam as formas:

  • FIFO (First in, First out) ou PEPS (primeiro a entrar, primeiro a sair)
    • Neste modo de sequenciamento os pedidos são produzidos na ordem em que entram na produção
  • LIFO (last in, first out) ou UEPS (último a entrar, primeiro a sair)
    • Neste modo de sequenciamento os últimos pedidos são produzidos primeiro.

4º objetivo – Monitoramento da produção: “A execução está seguindo o planejamento?”

Para fechar os objetivos principais do PCP, chegou a hora de controlar a produção e observar se ela está de fato seguindo o planejamento feito anteriormente.

Existem basicamente duas formas de fazer esse controle da produção:

  • Controle empurrado
    • Aqui cada posto de trabalho passa (ou empurra) o material ou produto semi-acabado para a etapa seguinte assim que terminam sua atividade.
  • Controle puxado
    • Aqui o centro de trabalho solicita (ou puxa) o material ou produto semi-acabado da etapa anterior. Dessa forma uma atividade puxa a outra, que puxa a anterior e assim por diante.

Etapas do PCP

Para implementar o planejamento e controle da produção, devemos seguir algumas etapas do processo.

Como vimos os objetivos do PCP acima, as etapas seguem uma ordem similar, primeiro planejando e depois controlando, confira:

1ª etapa – Previsão de demanda da produção

Para começar a colocar o planejamento em prática, é preciso estimar qual será o volume de vendas/demanda no período. É possível fazer isso através da previsão de vendas.

Dessa forma é possível estimar qual será a demanda de materiais, da produção e do pessoal.

Esse planejamento deve ser feito tanto para curto quanto para médio/longo prazo.

2ª etapa – Planejamento da capacidade produtiva

Após ter uma noção da demanda do período e também do futuro a longo prazo, agora a empresa deve adequar a capacidade produtiva para a demanda.

Ou seja, é preciso definir se será necessário aumentar a capacidade contratando mais pessoal e comprando mais máquinas ou se é preciso reduzir a produção e a mão de obra disponível.

3ª etapa – Planejamento agregado da produção

O objetivo aqui é determinar qual é a melhor estratégia de produção para a fábrica.

Normalmente o planejamento agregado da produção é feito anualmente, revisado mensalmente e nele há informações como:

  • Volume de estoque e produção mensal
  • Contratação e demissão de colaboradores
  • Contratação de horas extras
  • Contratos com fornecedores
  • Contratos com serviços de logística

O objetivo é criar um ponto de referência para tomar decisões em relação a demanda e capacidade da empresa ao longo do ano.

4ª etapa – Plano mestre da produção

Nesta etapa o foco são os planos de produção no curto prazo e de forma operacionalizada.

No plano mestre da produção a empresa analisa e direciona seus recursos para atender a demanda do período, ou seja, para produzir a quantia certa, na hora certa.

Aqui o planejamento deve ser mais detalhado contendo itens, quantias e estoques.

O PMP é mais detalhado do que o planejamento agregado e deve considerar também os pedidos atualmente abertos na produção.

5ª etapa – Programação Detalhada da Produção

Esta é a etapa em que a indústria de fato começa a gerir o chão de fábrica, sua rotina e suas atividades.

Nessa etapa é preciso planejar:

  • A quantidade de materiais;
  • A organização do estoque;
  • Definir lotes para os produtos;
  • Definir a sequência das ordens de produção;
  • Definir os padrões e a geração das ordens de produção.

6ª etapa – Controle de produção

Com o planejamento feito, chegou a hora de controlar a sua produção e verificar se está tudo seguindo o combinado.

Nessa etapa sua equipe deve mensurar e analisar os dados informados pelo seu sistema de gestão para identificar problemas, melhorar processos e realizar outros ajustes.

Com esse controle será possível tomar decisões mais assertivas na hora de melhorar os processos da sua indústria.

Quais são as funções do analista de PCP?

A melhor forma de implantar o PCP em uma indústria é possuindo uma equipe responsável por esse planejamento e controle da produção.

O analista de PCP é uma das peças mais importantes dessa equipe e escrevi um artigo listando quais são suas principais atividades.

De forma resumida, aqui estão:

  1. Analisar previsões de venda
  2. Planejar e elaborar o plano de produção
  3. Rodar o MRP e gerar necessidades de compras e produção
  4. Analisar carga e capacidade no CRP
  5. Confirmar as necessidades de matérias-primas, embalagens e materiais de consumo
  6. Emitir solicitações de compra e acompanhar o processo
  7. Confirmar ordens de produção de semiacabados
  8. Conferir e liberar as ordens de produção
  9. Elaborar a programação da produção com o ERP Industrial ou um APS
  10. Apoiar o comercial na promessa de prazos de entrega
  11. Acompanhar as etapas da produção
  12. Fazer o controle da produção
  13. Ajudar a produção a cumprir prazos prometidos
  14. Acompanhar clientes no diligenciamento da produção sob encomenda
  15. Gerenciar os indicadores de PCP
  16. Apurar o custo da produção
  17. Alinhar com o planejamento da manutenção
  18. Sugerir aumento ou redução de capacidade
  19. Ter compromisso com a qualidade

Como funciona um sistema PCP digital

Agora que já vimos qual a teoria do PCP e quais os seus passos para implementação, fica a pergunta: como colocar tudo isso em prática?

É claro que é possível fazer o planejamento e controle da produção por meio de planilhas, entretanto, esse método é muito trabalhoso e suscetível a erros.

Isso porque as planilhas não são integradas com os demais setores da sua empresa, geram retrabalho, podem conter erros ou pior ainda, podem ser perdidas por alguma falha no computador. Com elas não é possível aplicar a gestão integrada na sua empresa.

Por isso o método ideal para colocar o PCP em prática em uma indústria é usando um sistema especializado em PCP como o Nomus ERP Industrial.

A vantagem do Nomus ERP Industrial é que ele vem acompanhado de uma implantação realizada por especialistas em indústrias que podem auxiliar a sua indústria a colocar em prática as melhores práticas da gestão industrial.

Além disso o sistema Nomus ERP Industrial funciona na nuvem, onde os seus dados ficam seguros e livres de erros.

Para que você tenha uma ideia melhor de como funciona o sistema PCP, aqui estão alguns exemplos de funcionalidades da ferramenta:

Plano de produção e MRP com um sistema PCP

Usando um sistema PCP com o ERP Industrial sua indústria pode fabricar produtos e comprar materiais na quantidade e momento certos, mantendo seus estoques em níveis ideais.

Algumas funcionalidades disponíveis são:

  • Previsão de vendas
  • Plano de produção
  • Geração automática de ordens do plano de produção
  • MRP – Planejamento da necessidade de materiais
  • Ordens de semi-acabados via MRP
  • Solicitações de compra via MRP
  • CRP – Planejamento da necessidade de capacidade
Tela de planos de produção no sistema de PCP – Nomus ERP Industrial

Programação da produção com um sistema de PCP

Usando um sistema para o planejamento e controle da produção a sua indústria consegue programar a produção e assim é possível definir prazos de entrega precisos para seus clientes, além de reduzir gargalos da produção.

Algumas funcionalidades importantes disponíveis, são:

  • Programação da produção com capacidade finita
  • Gráfico de Gantt da programação
  • Programação de operações por máquina
  • Análise do prazo de entrega de pedidos de venda
  • Análise do prazo de entrega de ordens de produção
  • Análise de gargalos na produção
  • Previsão de faturamento
  • Programação integrada com o apontamento da produção
Análise de gargalos na produção no sistema de PCP – Nomus ERP Industrial

Controle da produção com um sistema PCP

Ao realizar o controle da produção com um sistema PCP a sua indústria consegue gerar ordens de produção e emitir etiquetas de forma rápida e prática. Além disso, é possível controlar o consumo de materiais nas OPs e registrar toda a produção da fábrica.

Algumas funcionalidades disponíveis para o controle da produção, são:

  • Lista de materiais
  • Funcionalidades avançadas na lista de materiais
  • Configuração de produto para montagem sob encomenda
  • Importação de arquivos de engenharia
  • geração de ordens de produção
  • Emissão de documento da ordem de produção
  • Emissão de etiquetas para identificação da ordem
  • Requisição de materiais para a produção
  • Reporte da produção
  • Reporte de subprodutos e co-produtos
Tela de lista de materiais no sistema ERP Industrial Nomus

Para ver o sistema Nomus ERP Industrial funcionando na prática, recomendo que assista uma demonstração da ferramenta.

Caso a sua indústria não tenha interesse em uma ferramenta de gestão do PCP completa, recomendo que pelo menos contrate uma consultoria com uma empresa junior, como a fluxo consultoria.

Como é o PCP da sua indústria?

Agora vamos falar da sua empresa. Como é feito o PCP da sua empresa? Deixe nos comentários se a sua indústria já possui o PCP implementado ou não. Além disso, fique a vontade para dizer quais são as principais dificuldades enfrentadas para colocar o PCP em prática no seu negócio.

Nomus ERP Industrial

Compartilhe esta matéria:


Tags:


Engenheiro Mecânico Industrial formado na UERJ e especialista em implantação de sistemas de gestão Industrial na Nomus. Thiago já atuou em fábricas de diversos setores, como: Embarcações, perfuração submarina, metal-mecânica, materiais de escritório, alimentício, cosméticos e tubulação.


Participe! Deixe o seu comentário agora mesmo:




Junte-se a 47.312 gestores e profissionais da indústria

Receba dicas semanais de engenheiros de produção direto no seu email e turbine sua a gestão da sua indústria. Inscreva-se gratuitamente:


Seu email está seguro e você nunca receberá spam