Apontamento da produção: meus formulários em papel precisam ser digitados

Atualizado em 13/07/21 - Escrito por Pedro Parreiras na(s) categoria(s): Processos e Organização / Produção

Chão de fábrica

Você sabe quais são as dores da sua indústria? Quais problemas te impedem de crescer e expandir seu negócio? Começa a série Dores da Indústria, onde mostramos para você o tratamento adequado para solucionar suas dificuldades.

Neste artigo você pode conferir em vídeo e a transcrição completa do segundo Dores da Indústria, onde falamos sobre ter formulários em papel no chão de fábrica que precisam ser digitados. Mostramos como buscar a solução desse grupo de tratamento voltado ao apontamento de produção, quando você não consegue fazer apontamento da minha produção em tempo real.

VEJA MAIS – O que é o MRP, para que serve e quais os seus segredo

Talvez você nem saiba como esse problema possa estar afetando sua indústria. Clique no vídeo e veja melhor o tratamento dessa dor:

Esperamos ter te ajudado a identificar e tratar esse sintoma. Curta o vídeo, compartilhe e faça seu comentário, para podermos responder mais dúvidas. Sua interação é muito importante para nós.

Aguarde o próximo vídeo da série Dores da Indústria, toda quinta-feira, no Blog Industrial. Assista uma demonstração do nosso ERP Industrial e também acompanhe a Nomus no Papo de Produção.

Veja os outros vídeos da série Dores da indústria

Transcrição – Apontamento da produção: formulários em papel precisam ser digitados

Começamos mais uma “temporada”, dessa vez falando das dores tratadas com o apontamento da produção. Tivemos a primeira “temporada” do Dores da Indústria falando de Planejamento da produção e compras, com geração de ordens de produção e MRP, falamos de algumas dores tratadas com esse “remédio”, sem efeitos colaterais. Na segunda “temporada” falamos sobre as dores que são tratadas pelo controle de estoque com emissão de ordens de produção. Agora, vamos começar a falar sobre as dores que são tratadas pelo apontamento da produção.

O apontamento da produção é meu xodó, porque o ERP Industrial da Nomus nasceu no chão de fábrica, no apontamento da produção. É uma das áreas do sistema que fico mais fascinado e que gosto de falar.

Não consigo fazer apontamento da minha produção em tempo real

Essa é a primeira dor tratada pelo apontamento da produção. Dentro dela vamos falar sobre ter formulários em papel no chão de fábrica que precisam ser digitados. Como essa dor pode trazer impacto financeiro?

Lembrando que essa série de vídeos, Dores da indústria, trata do impacto financeiro que uma dor traz para a indústria. Você sabe que formulários de papel podem não ser o ideal, gerando problema, gerando inúmeras consequências negativas, mas não faz nada para mudar essa situação por não saber o quanto de dinheiro está perdendo. Assim, voltamos ao desafio do Dores da Indústria: fazer você pensar em sua situação. então, isso é um exercício, que fazemos juntos, para você parar e refletir o quanto de dinheiro está perdendo por ter formulários em papel no chão de fábrica que precisam ser digitados, consequentemente você não consegue fazer apontamento da produção em tempo real.

Chão de fábrica

Apontamento da produção

Temos alguns vídeos no Papo de Produção, vários artigos no Blog Industrial falando do controle do chão de fábrica, da gestão do chão de fábrica. Esse é um tema que tem até uma sigla em inglês para essa área do sistema de gestão  da indústria que é o SFC (Shop Floor Control). O que entendo como apontamento da produção é ter uma possibilidade de informar no sistema o que está sendo feito na sua produção, seja em relação ao que foi ou não planejado.

O que tem no apontamento da produção? Pode ser informado o início, etapa e fim da ordem da produção, quantidade produzida. Por exemplo, uma produção com três etapas: corte, usinagem (torno) e solda. Temos três operações na ordem de produção e temos que informar para o sistema o início e o fim de cada operação, além da quantidade produzida. Com isso você passa a informação com tempo real da produção. Muitos perguntam sobre cronoanálise, análise de tempo de processo, fazendo o apontamento, automaticamente, você tem os tempos de produção

Nesse tempo real de produção, permite comparar com o tempo planejado, tem acesso ao custo real da produção, ter o tempo de produção é um dos parâmetros para calcular custo de mão de obra direto, custo direto de fabricação, entre outras informações importantes.

Também podemos informar problemas. Por exemplo, a máquina parou por algum problema. Informa o início e término da parada, com isso temos o tempo total da parada, consegue depois fazer a análise de OEE, que é a efetividade geral do equipamento, ferramenta importantíssima para ajudar a medir produtividade.

O apontamento de produção ajuda em todas essas áreas. Se você não tem um sistema com uma interface intuitiva no chão de fábrica, que o próprio operador pode fazer o apontamento ou para indústrias maiores que tem um sistema de automação industrial, que ajuda a trazer algumas informações também, você não consegue trazer todas as informações automaticamente para o sistema, mas muita coisa, mas muita coisa já consegue trazer automaticamente. Se você não tem esses sistemas, não consegue trazer essas informações de maneira fácil, por exemplo, você tem um tablet em alguma região estrategicamente pensada dentro da fábrica para o operador caminhar e fazer o apontamento, colocar a informação de início e fim. Que não seja o operador, se tiver um “apontador”, que é uma outra pessoa no chão de fábrica carregando esse tablet e sempre que o operador quiser dar uma informação de início e fim ele levanta a mão e chama o apontador, que vai e digitar todas as informações.

O formulário de papel precisa ser digitado. Assim, não temos a informação em tempo real, porque o operador escreve com caneta e papel e alguém precisa digitar. Já vi casos que a digitação foi feita em dois lugares, em planilhas de excel e depois no sistema. A planilha ajudava fazendo relatórios e o sistema ajudava informando a parte de custos.

Perda financeira

Quanto sua empresa está perdendo por ter formulários em papel no chão de fábrica que precisam ser digitados? Já parou pra pensar? Vamos fazer aquele exercício: pegue papel, caneta ou abra no computador o bloco de notas, editor de texto, planilha de excel, como preferir, e vamos fazer contas no Dores da Indústria.

Vou pegar um exemplo do salário da pessoa que digita. O que essa pessoa faz? Ela digita dados, passa o dia todo digitando. Vamos fazer uma conta simples, qual o salário dessa pessoa? Por exemplo, R$1500, por mês, incluindo benefícios e encargos, custa para empresa R$3 mil, por mês. Sua empresa está perdendo R$3 mil, por mês por ter formulários em papel no chão de fábrica que precisam ser digitados. Essa é a perda mais fácil de ser calculada, se você não tem um sistema que o próprio operador pode digitar na hora ou que tem um apontador que coleta os dados na fábrica, que a informação vai em tempo real no sistema, você está perdendo dinheiro.

Agora, imagina se a pessoa que vai digitar não entende a letra do operador ou acha que entende e digita uma coisa diferente – isso é a coisa mais comum. Muito difícil o digitador ir no chão de fábrica e perguntar o operador, “não entendi o que escreveu, pode me dizer o que é?” Normalmente ele digita o que entende ou o que acha que entende, gerando uma informação errada no sistema.

Qual o custo de uma informação errada? Já tomou a decisão errada por ter a informação errada? Por exemplo, “acho que esse tipo de produto não vale a pena produzir, porque tem muito tempo de máquina e o preço do mercado não compensa”. Esse “muito tempo de máquina” pode ser um tempo que foi calculado a partir de uma informação errada, assim você toma uma decisão de deixar de produzir e vender o produto por achar que ele não vale a pena por uma digitação errada. Esse é só um exemplo de uma decisão errada com base em uma informação que veio de uma digitação errada.

Então, para pra pensar em todas as fontes de perda financeira, que no mínimo vai ser o salário do digitador. Ele pode ganhar apenas R$1 mil, custando R$2 mil, você está perdendo 2, 3, 4 mil reais por mês por, todo mês, por precisar de alguém lá digitando uma informação que só irá chegar no dia seguinte, sem o tempo real, com uma informação atrasada, gerando outras perdas.

Nomus ERP Industrial

Compartilhe esta matéria:


Tags: ,




Participe! Deixe o seu comentário agora mesmo: