KPI’s na indústria: como monitorar indicadores e ter melhores resultados


Atualizado em 31/05/22 - Escrito por Bianca Xavier na(s) categoria(s): Produção

Ferramentas de gestão

Atualmente, o mundo cada vez mais tende a uma direção que favorece a obtenção e interconexão de dados. Para extrair os maiores benefícios destas evoluções tecnológicas, devemos estar cientes de como interpretar e utilizar essas informações.

Pensando nisso, entrevistamos o Mestre em Engenharia de Produção e Gerente Industrial Rafael Jahara para responder às nossas dúvidas sobre como esses dados obtidos podem ser utilizados a favor de uma produção industrial.

Na indústria, esses dados se traduzem em KPI’s, sigla que significa Key Performance Indicator ou, em tradução, Indicador Chave de Performance. São esses indicadores que guiarão as ações e decisões de um gerente industrial como o Rafael.

Nesse artigo, você verá:

  • O que são KPI’s e qual sua função;
  • Quais são os indicadores mais relevantes;
  • Como a tecnologia influenciou o papel dos KPI’s na indústria;
  • Como a informação em tempo real impacta o trabalho dos colaboradores de uma indústria;
  • Qual a frequência ideal para a checagem desses dados;
  • O que é a tomada de decisão baseada em dados.

Para entender mais sobre esses indicadores que fazem toda a diferença na gestão da sua indústria, leia o artigo até o final. 

Entrevista com o gerente industrial Rafael Jahara

Disponível também como Podcast, nas principais plataformas:

Disponível nas principais plataformas de Podcast:

O que são KPI’s e qual sua função

Como sabemos, qualquer indústria baseia sua produção em processos, divididos em etapas que compõem a confecção de seu produto final. 

Dentro desse processo, o KPI é responsável por medir qualquer uma de suas etapas, seja ela a entrada, o meio, a saída ou outra parte específica.

É aí que entra a importância desses indicadores, que revelam aos gestores industriais como está o andamento do processo e, consequentemente, o que pode ser melhorado.

Para isso, os indicadores devem ter limites, máximos ou mínimos dependendo do que seus números apontam, ou seja, se é uma métrica que quanto mais alta ela estiver, melhor é seu significado, ela deve ter um limite mínimo.

Dessa forma, você e seus colaboradores saberão quando sua indústria estiver desempenhando abaixo do esperado.

Além disso, esses indicadores devem ser representativos, o que significa que eles precisam ter significado para o gestor que os interpretará. Não é benéfico o gestor ter acesso a muitos indicadores que não significam nada, ou que ele não saiba interpretar.

Ao invés disso, é necessário destacar os indicadores mais importantes, que o gestor deve saber ler e entender da maneira correta.

Quais são os indicadores mais relevantes

Alguns indicadores são essenciais de serem medidos para um acompanhamento básico do processo produtivo de uma indústria.

Apesar de não serem os únicos que devem ser acompanhados, eles possuem algumas das informações mais importantes para a sobrevivência da sua organização. São estes:

Qualidade

Indicadores de qualidade podem sinalizar perdas ou desperdícios no processo produtivo, mostrando ao gestor o que deve ser alterado na produção.

Eles podem compreender métricas de refugo, não conformidade, perda, reclamações de clientes e mais.

Essa medição deve ser priorizada para um refinamento das práticas utilizadas, de maneira a melhorar todo o processo.

Lucratividade

Nessa esfera, estamos tratando de indicadores contábeis e financeiros. São muito importantes já que medem o que é o objetivo principal de uma organização: obter lucro.

Estão inseridos nesse âmbito indicadores como EBTIDA, lucro líquido, participação do capital de terceiros etc.

A indústria deve estar ciente de seus gastos e ganhos para estar apta a cumprir esse papel de produzir para gerar um lucro como resultado final.

Performance 

Os indicadores de performance devem revelar ao gestor se a produção está se desenvolvendo em seu ritmo ideal, de maneira a não gerar atrasos.

Dentre as métricas que indicam performance, podemos citar eficiência de equipamentos, turn over, absenteísmo.

Esses três indicadores são essenciais para que as empresas possam dar os primeiros passos em entender como está o seu desempenho, seus processos e, consequentemente, seus resultados.

Cada um desses âmbitos compreende diversas métricas diferentes, que devem ser analisadas para se obter um panorama geral do desempenho do seu negócio e guiá-lo em direção ao sucesso.

Como a tecnologia influenciou o papel dos KPI’s na indústria

Hoje em dia, a tecnologia contribui para a geração de um volume de informações muito maior se comparado às últimas décadas.

Com isso, a nossa relação com esses dados se altera, já que as organizações devem se adaptar para se tornarem capazes de interpretar uma quantidade muito maior de informações.

Isso porque, se antigamente podíamos armazenar dados somente em discos ou pendrives, atualmente, as técnicas de armazenamento de dados evoluíram de tal forma, que hoje temos uma capacidade talvez infinita de armazenamento em servidores em nuvem.

Essa evolução pode ser vista de maneira positiva, já que agora temos acesso a uma base de dados muito vasta, que permite análises mais certeiras, responsáveis por decisões mais assertivas.

No entanto, ela gera a necessidade de um novo know-how que nos permita extrair desses dados informações valiosas para a tomada de decisão em um negócio. 

Como consequência, surgem ferramentas como Machine Learning (método de análise de dados automatizado), ferramentas robustas de análise de dados, linguagens de programação direcionadas a essa interpretação de dados etc.

Além disso, os profissionais estão cada vez mais voltando sua atenção para a importância de uma capacitação voltada a estas habilidade de mineração e tratamento de dados. 

Com isso, aumentando suas oportunidades no setor, já que as empresas e indústrias buscam por trabalhadores qualificados e atualizados com o mercado.

Essas habilidades permitem que os gestores tomem decisões mais assertivas em relação ao mercado, às tendências e previsões que podem ser feitas.

Como a informação em tempo real impacta o trabalho dos colaboradores de uma indústria

Atualmente, o desenvolvimento tecnológico também permitiu uma abordagem da apresentação de dados que pode se dar em tempo real para os colaboradores.

Esse recurso pode ser capaz de evitar problemas de comunicação dentro de uma equipe, o que pode derrubar muitas barreiras que impedem a melhora do processo produtivo.

A comunicação em um time deve ser clara e objetiva, além de fluida e eficaz e pode ser realizada através de diferentes meios, como e-mail, murais, grupos de Whatsapp, reuniões etc. Cada organização é responsável por determinar qual meio se encaixa melhor com suas necessidades.

Essa divulgação e recepção dos dados em tempo real se dá através da gestão à vista, uma prática de gestão na qual certos indicadores de desempenho são apresentados para os colaboradores de maneira atualizada. 

Comumente, eles são apresentados de maneira a possuir um apelo visual atrelado a um apelo cognitivo, como, por exemplo, utilizando cores para representar indicadores ruins ou bons.

Esse apelo contribui para que os indicadores façam parte da consciência dos seus colaboradores, que ficam mais propensos a monitorá-los e se esforçarem para mantê-los dentro dos parâmetros corretos.

Qual a frequência ideal para a checagem desses dados

Com todos esses dados à nossa disposição, temos que entender também com qual frequência eles devem ser checados ou medidos, para fazer bom uso dessas informações.

Esse período ou intervalo de checagem pode variar de acordo com o tipo de indústria que é analisada, seus objetivos e dificuldades etc. Por isso, caberá ao gestor ou diretor da fábrica decidir a periodicidade com a qual cada métrica deve ser analisada.

Algumas métricas deverão ser analisadas diariamente, como indicadores de produção diária, peças faturadas ou enviadas para faturamento. 

Algumas empresas podem considerar métricas de dívidas, faturamento, perda e não conformidade como indicadores que devem ser medidos diariamente.

Já outras métricas podem analisadas somente trimestralmente, por exemplo, e não há necessidade de checá-las todos os dias.

Essa decisão parte da importância que aquele indicador tem para os objetivos da sua organização. O gestor deve entender quão crítico aquele número é, para que possa então estabelecer as diretrizes de tratamento para este.

O que é a tomada de decisão baseada em dados

Em um negócio, é fundamental que a tomada de decisão seja feita com base em dados concretos.

Por exemplo, se você vai ao mercado, pensa em comprar ovos, mas se lembra que já possui duas dúzias de ovos em sua casa, você optará por não comprá-los. 

Essa é uma decisão simples, que está sendo tomada com base em uma informação prévia, que informa essa escolha.

Em uma empresa, uma escolha como o investimento financeiro em determinado recurso, deve ser tomada se baseando em quanto dinheiro sua organização possui em caixa.

Dessa maneira, sua gestão não gerará prejuízo a sua empresa, ou tomará apenas riscos devidamente calculados.

Os dados devem informar quaisquer decisões de uma empresa, como investimento em equipamentos, contratação de pessoas, realocação de colaboradores etc.

Em suma, a coleta de dados em grande escala que a tecnologia atual nos proporciona nos permite tomar decisões muito mais informadas e assertivas do que era possível alguns anos atrás.

Com isso, temos que ser capazes de usar essa capacidade a nosso favor, nos informando sobre as mais recentes tecnologias de análise de dados, e obtendo a capacitação necessária para interpretar essas informações.

Acompanhe a Nomus

Caso tenha gostado desse conteúdo, compartilhe com seus colegas e se inscreva na lista de e-mails do nosso blog. Dessa forma, você recebe exclusivamente os novos conteúdos do Blog Industrial da Nomus.

Além disso, acompanhe a Nomus na sua rede social favorita seguindo os links abaixo:

Ferramentas de gestão

Participe! Deixe o seu comentário agora mesmo: