A importância do profissional da engenharia de produção em uma indústria

Atualizado em 26/05/20 - Escrito por Thiago Leão na(s) categoria(s): Estratégia / Processos e Organização / Recursos Humanos

Curso gratuito de White Belt em Lean Seis Sigma

Como engenheiro de produção e escrevendo diversos artigos para o Blog Industrial, pensei que seria muito interessante falar sobre a importância do profissional da engenharia de produção em uma indústria. No mês de dezembro temos duas datas especiais para esse profissional tão valioso para as indústrias brasileiras: dia 11 é o dia do engenheiro e dia 17 o dia do engenheiro de produção.

Nada melhor do que encerrar o ano com este artigo que eu espero inspirar cada vez mais pessoas procurarem a engenharia de produção e trabalhar nas indústrias como opção de carreira. Tenho certeza que com mais e melhores profissionais de engenharia de produção nas indústrias, o Brasil vai conseguir retomar o crescimento de maneira sustentada e gerar mais riquezas.

Baixe a importância do profissional de Engenharia de Produção em PDF

Para fazer o download o conteúdo desse manual em PDF, basta clicar na imagem abaixo:

A importância do profissional de Engenharia de produção


O crescimento exponencial da engenharia de produção

A engenharia de produção vem tendo um papel cada vez mais relevante no desenvolvimento da nossa sociedade. Tanto que isso é refletido no aumento da procura por engenheiros e engenheiras de produção, não só nas indústrias, como também em diversas outras áreas de atuação.

Para você ter uma ideia, quando fiz meu vestibular em 1997, havia apenas 1 curso de engenharia de produção plena na cidade do Rio de Janeiro e 3 no estado; ano passado havia mais de 70 cursos no estado. O restante do Brasil teve um crescimento tão expressivo quanto este.

Entretanto, muitas pessoas ainda não sabem da importância que esta engenharia tem e muito menos o que o profissional faz. Não poderíamos conceber a ideia de um viaduto sem um engenheiro civil e de um motor de carro sem um engenheiro mecânico, certo?

E o engenheiro de produção, qual o seu foco? A resposta pode ser resumida nas palavras projeto e gestão de sistemas, envolvendo não só tecnologias e processos, mas também pessoas, clientes, fornecedores e governo, com fluxos constantes de informação, material e dinheiro.

O que é a engenharia de produção?

A engenharia de produção é o ramo das engenharias que trabalha com a melhoria e implantação de sistemas, envolvendo:

  • pessoas
  • materiais
  • equipamentos
  • energias
  • informações

Compete a ela projeto, implantação, operação, melhoria e manutenção de sistemas produtivos integrados de bens e serviços. Ou seja, a produção não trata somente de bens, mas também de serviços. Não sei se você já parou para pensar nisso, mas normalmente quando se fala em produto, se pensa em um bem, entretanto um serviço também pode ser considerado como produto do trabalho de quem o realiza.

Na realidade, a produção nada mais é do que a transformação de algo de um estado para outro. Por exemplo, a produção de móveis transforma madeira, pregos e parafusos em mesas, cadeiras etc. Por outro lado, um salão de beleza transforma o cabelo de longo para curto; os correios transformam um pacote em São Paulo para um pacote em Manaus, e assim por diante.

O que faz um engenheiro de produção?

Antes de falar sobre o que faz uma engenheira ou um engenheiro de produção, acho importante citar uma definição de engenheiro que achei bastante interessante, direto da Wikipédia:

“Um engenheiro é um profissional de engenharia, preocupado com a aplicação do conhecimento científico, matemática e criatividade para desenvolver soluções para problemas técnicos.”

Portanto, os engenheiros e engenheiras de produção são parte extremamente importante em indústrias e empresas que procuram soluções para seus problemas de produção de bens e serviços. Com isso, é possível aumentar a produtividade e serem mais rentáveis.

A partir do conhecimento de engenharia conectado a técnicas de administração e bases de economia, o engenheiro de produção adota alguns procedimentos para facilitar o trabalho, melhorar técnicas de produção e ajustar atividades financeiras, logísticas e comerciais. Além disso, é ele quem define como matérias-primas, mão-de-obra e equipamento são integrados; especifica, prevê e avalia os resultados obtidos destes sistemas.

Glossario

O que faz um engenheiro de produção em uma indústria?

Engenheiros de produção industriais determinam quais os modos mais eficientes para utilizar os fatores básicos de produção (pessoas, máquinas, materiais, informações e energia) para fornecer um serviço ou fabricar um produto. Eles são o elo entre as metas propostas pela administração e o desempenho operacional e buscam a todo momento aumentar a produtividade através da gestão de pessoas, métodos, organização de tecnologias e processos de negócios.

Para elucidar problemas de produção e organizacionais, os engenheiros industriais estudam os produtos e suas demandas. Desenvolvem sistemas de controle gerencial para auxiliar no controle de custos e gestão financeira, além de projetar sistemas de planejamento e controle da produção.

Também é função deste profissional aperfeiçoar os sistemas de distribuição de bens e serviços, determinar em qual local  de uma fábrica há a melhor combinação de disponibilidade de matérias-primas, infraestrutura de transporte e custos. Os engenheiros de produção usam computadores para simular e controlar as mais variadas atividades e dispositivos da sua indústria, como linhas de montagem e robôs automatizados.

Como é a graduação de um curso Engenharia de Produção?

A graduação possui as disciplinas básicas das engenharias, aulas de administração, economia e matérias específicas de gestão de investimento e organização do trabalho, sendo trabalhada em cima de 4 grandes eixos:

  • Conhecimentos Gerais – Ciências básicas que trazem a área da engenharia e formação humanística
  • Gestão Empresarial – Disciplinas direcionadas para a visão integral e sistêmica da indústria no âmbito socioeconômico na qual ela está inserida.
  • Base Tecnológica – Aqui são trabalhadas matérias de arquitetura industrial, mecânica, elétrica, automação e gestão ambiental
  • Formação Específica – É onde são trabalhadas disciplinas escolhidas com a área de atuação, como qualidade, produtos, processos, logística, ergonomia, sistemas de produção, finanças e estruturas organizacionais.

A duração média do curso é de 5 anos e para conseguir o diploma é necessário fazer estágio e apresentar um projeto final de curso ou uma monografia.

Em quais áreas um Engenheiro de Produção pode atuar em uma indústria?

Em uma indústria, um engenheiro habilitado em produção pode trabalhar em setores como:

  • Compras
  • Comercial
  • Programador da Produção
  • Marketing
  • Financeiro
  • Supervisor de Linha
  • Analista de PCP
  • Gerente de Produção
  • Diretor Industrial

Para você saber um mais sobre algumas dessas funções, veja o artigo que escrevi sobre os cargos essenciais para a sua indústria

Qual o futuro da engenharia de produção?

Se você está pensando em se tornar um profissional da engenharia de produção saber o futuro da profissão é fundamental.

Como falei no início deste artigo, a engenharia de produção é uma área em crescimento, tanto no número de profissionais formados quanto na contratação desta mão de obra.

Cada vez mais as indústrias precisam otimizar seus processos e controlar a produção e para isso o profissional da engenharia de produção é fundamental.

Em 11 anos o número de cursos de Engenharia de Produção cresceu cerca de 70 vezes só no Rio de Janeiro.

Outro indicativo a favor do profissional da engenharia de produção é a sua característica genérica e com perfil técnico.

Ou seja, durante a formação em Engenharia de Produção o profissional estuda disciplinas de outras engenharias e assim torna o curso multidisciplinar.

Além disso, o profissional da Engenharia de Produção tem as bases matemáticas, econômicas e estatísticas, o que faz com que seja mais adaptável em diferentes situações do mercado de trabalho.

Para finalizar, o curso está em constante evolução e hoje existem novidades como:

  • Internet das coisas (IOT – Internet of Things)
  • Inteligência artificial
  • Impressora 3D
  • Análise massiva de dados

Se você tem curiosidade para saber ainda mais sobre esse assunto, confira artigo completo que escrevi sobre o futuro da engenharia de produção.

Quero começar, como conseguir um estágio em Engenharia de Produção?

O estágio é uma fase fundamental na formação de qualquer profissional. É um período de aprendizado e também de avaliação, tanto da empresa, quanto do estagiário, para ver se aquilo irá dar certo e se irá atender as expectativas de ambos os lados.

Entretanto, conseguir um estágio nem sempre é uma tarefa tão fácil e por isso vou compartilhar com você algumas dicas e opiniões pessoais para aumentar sua chance de ser contratado.

Primeiro de tudo, tenha uma atitude para vencer, seja positivo. Muitas pessoas são pessimistas e dizem que não estão contratando engenheiros, usando o velho argumento externo da crise.

É preciso se reinventar e dar o seu melhor. Comece como estagiário e caso o plano de carreira da indústria que escolher for começar com um cargo mais baixo do que engenheiro, não desanime.

Mostre que você é capaz de gerar resultado para empresa e rapidamente o seu valor será reconhecido. Além de engenheiro de produção, sou um dos fundadores da Nomus e aqui valorizamos as pessoas que trazem soluções. Se você fizer isso estará dando mais de 100%.

Outra dica que dou é estar presente nas redes sociais e estudar bem a empresa antes de uma entrevista. Se você demonstrar conhecimento e interesse no setor e na indústria em si, as chances são que os avaliadores ficarão com uma boa impressão da sua dedicação.

Caso queira ler mais sobre esse assunto e ver um vídeo que gravei sobre isso, acesse o artigo Como conseguir um estágio em Engenharia de Produção.

Quais cursos extracurriculares são importantes para profissionais da engenharia de produção?

Justamente por conta da multidisciplinaridade da Engenharia de Produção que citei no tópico anterior, as possibilidades de cursos extracurriculares disponíveis para um profissional da área são vastas.

Vou citar alguns exemplos de cursos que podem trazer benefícios importantes para você que pretende ou já trabalha com a Engenharia de Produção. Confira a lista:

  • Gestão de Operações na prática: GO!
    • O GO é um curso 100% online e irá te ensinar tudo que você precisa saber sobre o método MAPI, que é um método de gestão baseado em projetos de melhoria contínua e também um conjunto de conceitos e ferramentas.
  • Formação Whitebelt em Lean Seis Sigma
    • Após a realização do curso você será capaz executar operações de rotina na empresa, auxiliando os Yellow, Green e Black Belts no andamento de projetos Seis Sigma, assim como na manutenção dos resultados obtidos.
  • Introdução ao Lean Manufacturing
    • Os primeiros passos na metodologia japonesa que alcançou o mundo todo!
  • Websérie: passo a passo para desenvolver seu projeto Seis Sigma
    • Thiago Coutinho e Daniel Fraga explicam as etapas necessárias para aplicar um projeto de Seis Sigma na prática.
  • Excel 2013 (Introdução)
    • Após a realização do curso você poderá começar a utilizar o Microsoft Office Excel, entender um pouco de seu funcionamento e do que ele é capaz de fazer.
  • Treinamento de Black Belt em Lean Seis Sigma
    • O certificado Seis sigma tem sido um pré-requisito para muitos cargos nas principais organizações do Brasil e a busca de profissionais para a certificação de projetos tem se tornado ainda maior em tempos de crise.
  • Gerenciamento do escopo de projetos
    • O curso oferece uma visão abrangente da gestão de projetos – um mercado que atrai muitos engenheiros no Brasil. Os professores enfatizam a importância de documentar e alinhar as expectativas de todos os envolvidos durante o processo.
  • Gestão de Projetos
    • O curso é dividido em 11 aulas para que o aluno tenha a noção de Gestão de projetos dada em salas de aula de engenharia de produção na USP.
  • Introdução à engenharia mecânica
    • O curso tem como foco mostrar aos alunos iniciantes todas as ferramentas necessárias para a resolução de problemas de engenharia mecânica, baseado nos conceitos fundamentais de matemática e física. O ponto central consiste nas aplicações práticas e concretas.
  • Visual basic para iniciantes
    • O aluno será introduzido na linguagem de programação VB.net. Durante as aulas, ele será capaz de construir seus primeiros algoritmos, entender a lógica da construção de softwares e a construir interfaces e comandos na prática. Todas as aulas estão disponíveis no YouTube e estão divididas por módulo.
  • Metodologia da programação
    • É uma introdução à engenharia de software, focando na linguagem Java. O programa do curso abrange decomposição, encapsulamento, abstração, entre outros fundamentos de computação.
  • Introdução ao PCP
    • Nesse curso, o aluno aprende as noções básicas e o conhecimento necessário para o PCP, fluxo de trabalho, modos de planejamento, tipos de sistemas produtivos, sistemas de produção contínuos, em massa e repetitivos em lotes, diferença entre programação empurrada e puxada, sistemas de produção sob pedido, fatores importantes que impactam nas atividades do PCP, entendendo os sistemas de administração da produção.

Para ver ainda mais cursos e saber os detalhes como carga horária, professores e organizações, acesse o artigo completo com 20 cursos online importantes para engenheiros de produção. A lista foi preparada pelo meu sócio e também Engenheiro de Produção, Celso Monteiro.

Quais livros são importantes para um profissional da Engenharia de Produção

A leitura é fundamental para o sucesso de um profissional da Engenharia de Produção e por isso separei alguns dos mais importantes livros do setor, confira a lista:

  • Edwards Deming
    • A Nova Economia para a Indústria, o Governo e a Educação
    • Saia da crise
  • Shingeo Shingo
    • Kaizen e a Arte do Pensamento Criativo
    • O Sistema Toyota de Produção
    • Sistema de Troca Rápida de Ferramenta
  • Ram Charan
    • Execução – A Disciplina Para Atingir Resultados
    • Know How
    • Pipeline de Liderança
  • Jim Collins
    • Empresas feitas para vencer
    • Feitas para durar – Práticas bem sucedidas de empresas visionárias (Jim Collins e Jerry Porras)
  • Goldratt
    • A Meta
    • Necessária sim, mas não suficiente
    • A Sindrome do Palheiro, garimpando informação num oceano de dados
    • Corrente crítica
  • Taiichi Ohno
    • O Sistema Toyota de Produção – Alem da Produção Em Larga Escala
    • O nascimento do Lean
  • Vincent Bozzone
    • Speed to Market: Lean Manufacturing for Job Shops
  • Endeavor
    • Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto
    • Vai que dá
  • Vicente Falconi
    • O verdadeiro poder
    • Gerenciamento da rotina do dia a dia
    • TQC – Controle da Qualidade Total no estilo japonês
  • Gary Cokins
    • Predictive Business Analytics: Forward Looking Capabilities to Improve Business Performance
    • Strategic Business Management: From Planning to Performance
    • Activity-Based Cost Management: Making It Work
  • W. Chan Kim
  • Peter Drucker
    • Drucker Em 33 Lições: As Melhores Aulas do Homem Que Inventou a Administração
    • O Melhor de Peter Drucker

Para ler sobre cada livro e também minha opinião sobre eles, acesse o artigo que escrevi sobre os 18 livros de gestão industrial para turbinar sua fábrica.

Venha para a produção e trabalhe na indústria

Como disse no início do artigo, o nosso país precisa muito de mais e melhores profissionais de engenharia de produção trabalhando nas indústrias. Se você está na graduação ou já se formou em engenharia de produção, procure opções de trabalho nas indústrias da sua região, pois certamente o seu trabalho irá ajudar muito elas a elevarem seus patamares. Caso você esteja pensando em fazer uma faculdade, considere o curso de engenharia de produção como uma excelente opção.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a importância da engenharia de produção em uma indústria você pode continuar aprendendo sobre o mundo industrial. Para isso, acesse o Blog Industrial e fique por dentro de tudo!

Software ERP projetado por engenheiros de produção

Compartilhe esta matéria:


Tags:


Engenheiro Mecânico Industrial formado na UERJ e especialista em implantação de sistemas de gestão Industrial na Nomus. Thiago já atuou em fábricas de diversos setores, como: Embarcações, perfuração submarina, metal-mecânica, materiais de escritório, alimentício, cosméticos e tubulação.


5 Comentários

  1. Bruno Magrytta says:

    Muito bacana o artigo, mas infelizmente há muitas empresas que não dão o reconhecimento necessário
    para esse tipo de profissional.

  2. Prol Nac says:

    É lamentável uma área destas, nas faculdades que conheço todos formados duas três turmas e nada de mercado de trabalho nesta área. Pois qualquer profissional pode ser um gestor mesmo que não tenha graduação ou estudo, as empresas aqui procuram pechinchar e quanto mais em conta sair o profissional é que vão contratar. Eng. Civil ou Mecanico, ninguém pode assinar por eles sem ser eng. civil ou eng. mecânico, eng químico, etc, já o de produção qualquer um pode assinar para ser o gestor ou seja se o alguém tiver boa experiência em um seguimento melhor pagar ele do que um engenheiro de produção recém formado que vai custar muito mais… esta are a nasceu morta infelizmente. E que não venham com hipocrisia falando que se não for bom profissional não conseguirá vaga. Pois se mestre de obra pudesse assinar os projetos no lugar do engenheiro civil muitos estariam desempregados ou seriam dispensavéis pois o que o mestre de obra não fizer um cadista poderá fazer… Lógico o engenheiro tem seu lugar e é importante principalmente quando a lei impoe que se precisa de um. Mas no caso da engenharia de produção isto não acontece qualquer pode assinar e disputar uma vaga que poderia ser propriamente dita do engenheiro de produção em gestão de processos entre outros…

    • Rodrigo says:

      O enegenheiro de Produção pode também assinar projetos.Eu assino.Contudo eu não posso assinar treliças e sistema de ar condicionado.A formação que uma universidade ensina serve como base para depois se aprofundar em qualquer materia cursada.Concluindo,temos que escolher uma area de atuação e se aprofundar,estudar e estudar, abre-se um leque de possibilidades cabe cada um aproveitar e correr atras.No cenario atual do Brasil fica dificil avaliar mercados de trabalho para a engenharias em geral. Se aproveitado é um excelente Bacharelado.

      • Douglas Coelho says:

        .
        É sempre o mesmo discurso sobre a Engenharia de Produção. Hoje, uns dos maiores problemas no Brasil e em empresas, é a falta de um profissional que saiba alocar recurso de forma eficiente. Vivemos uma época, que as pessoas aceitando ou não, a escassez de recursos existe. A Eng. De Produção e uma atividade muito complexa, saber alocar, dimensionar, avaliar controlar: pessoas, processos de forma eficaz e eficiente, tomar medidas macro micro, financeira, evitar desperdício, analisar capacidade, usar estatísticas, qualidade, produtividade, pesquisa operacional, inteligência de mercado entre outras….. Não eh tão fácil. Sou formando em Eng de produção, mas já tenho um rumo pré estabelecido. Mas posso falar com toda a certeza que todos essa história do Eng de produção, estão todos enganados e limitados. Quem tem interesse em fazer essa graduação,faça!!! Não se prendam nesses discussões arcaicos e sem embasamentos. Onde estão os Eng Civis, considerando que a indústria da construção civil está sofrendo recessão???? Quer ser um ótimo Eng civil ou mecânico etc???? Faça também a Eng Produção, não ADM. ADM não existe na grade de Eng de produção. Todas as graduação é de suma importância para o comunidade em si. Infelizmente, ainda temos Engenheiros com essa limitação de informações sem ao menos conhecer a fundo.

  3. Paulo Virgínia Filhos says:

    Olá, sou aluno de Engenharia de Produção, e acredito que todo Engº deve buscar pós graduações e aperfeiçoamento na sua área, entretanto a Engª de Produção, o curso em si precisa ser revisto pois os depoimentos que vejo é que a grade não mudou em 20 anos, entretanto a tecnologia hoje não é igual a de 20 anos atrás, estou aberto a discussão construtiva sobre esse assunto, pois como será essa profissão daqui a 30 anos?.

Participe! Deixe o seu comentário agora mesmo:




Junte-se a 47.312 gestores e profissionais da indústria

Receba dicas semanais de engenheiros de produção direto no seu email e turbine sua a gestão da sua indústria. Inscreva-se gratuitamente:


Seu email está seguro e você nunca receberá spam