Excesso de estoque de matéria prima: “Compro meus materiais antes do momento correto”

Atualizado em 12/02/20 - Escrito por Thiago Leão na(s) categoria(s): Estratégia / Logística / Processos e Organização / Produção

Gestao de estoque

Você sabe quais são as dores da sua indústria? Quais problemas te impedem de crescer e expandir seu negócio? Começa a série Dores da Indústria, onde mostramos para você o tratamento adequado para solucionar suas dificuldades.

Neste artigo você pode conferir em vídeo e a transcrição completa do oitavo Dores da Indústria, onde falamos sobre compro meus materiais antes do momento correto. Esse problema está diretamente ligado ao excesso de estoques de matérias primas. Mostramos como buscar a solução desse grupo de tratamento voltado ao Planejamento da produção e compras, com geração de ordens de produção e MRP.

VEJA MAIS – O que é o MRP, para que serve e quais os seus segredos

Talvez você nem saiba como esse problema possa estar afetando sua indústria. Clique no vídeo e veja melhor o tratamento dessa dor:

Esperamos ter te ajudado a identificar e tratar esse sintoma. Curta o vídeo, compartilhe e faça seu comentário, para podermos responder mais dúvidas. Sua interação é muito importante para nós.

Aguarde o próximo vídeo da série Dores da Indústria, toda quinta-feira, no Blog Industrial. Assista uma demonstração do ERP Industrial e também acompanhe a Nomus no Papo de Produção.

Veja os outros vídeos da série Dores da indústria

TranscriçãoCompro meus materiais antes do momento correto

vamos falar sobre a última causa das dores que geram desequilíbrio no estoque, na gestão do estoque, que são tratadas pelo Planejamento da produção e compras, com geração de ordens de produção e MRP.  Essa é, na realidade, a última dor que a gente mapeou no nosso mapa mental, mas pode ser que você identifique alguma outra dor, que tenha o tratamento no MRP e ainda não identificamos. Fica o convite para enviar sua sugestão.

Estamos falando do excesso de estoque de matéria prima, causado pela antecipação da compra, quando eu compro meus materiais antes do momento correto. O Dores da Indústria serve para trabalhar em cima do conteúdo, não apenas assistindo e se dando por satisfeito. Eu quero que você pegue papel, caneta, planilhas e faça contas para conseguir fazer uma estimativa do quanto está perdendo de dinheiro por ter esse problema.

Então, uma coisa é você tem excesso de estoque, outra coisa é saber que a causa é a compra antecipada do material, que você comprou antes da necessidade e ele fica parado sem utilização. Se você não souber quanto dinheiro está perdendo por isso, acredito que a chance de investir seu tempo e até dinheiro, em um projeto ou consultoria, para eliminar, extirpar essa dor vai ser muito menor. A partir do momento que você sabe o quanto está perdendo de dinheiro, nem que seja uma estimativa, terá mais energia e força para resolver o problema, para ele não voltar a acontecer.

Tratando a dor

Claro que tem vários outras fontes de perdas financeiras por comprar seu material antes do momento correto (você ainda pode listar todas que já citamos em artigos anteriores), mas o que eu pensei para discutirmos foi a mão de obra. Quando você tem um almoxarifado grande com muito estoque, irá precisar de mais pessoas controlando, organizando. No artigo anterior, falamos sobre o desperdício do espaço, que é análogo ao desperdício do tempo do trabalhador.

Temos duas situações que podem acontecer, se você tem uma empresa grande, uma equipe grande cuidando do almoxarifado, você pode diminuir essa equipe, direcionando para outro setor, que tenha um gargalo ou necessidade mais urgente de mão de obra.

“Minha empresa só tem uma pessoa no almoxarifado, o que eu faço?”

Não estamos falando de demissão, apesar de ser necessária em alguns casos, mas sim, em aproveitar melhor sua força de trabalho, sua equipe, deixando-os mais motivados. Mesmo que você tenha apenas uma pessoa no almoxarifado e não consiga direcioná-la para fazer exclusivamente outra atividade, você pode tê-la apoiando outras atividades, a não ser arrumar estoque. Tendo menos estoque para arrumar ela poderá fazer outras atividades que agregam maior valor.

Fazendo uma conta simples…

Vamos supor que você tem um colaborador que trabalha no almoxarifado e ele recebe salário mínimo da categoria, aproximadamente R$1000, somados encargos, benefícios, o custo dele para a empresa é de aproximadamente R$2000 por mês. Se você consegue dedicar 50% do tempo dele para fazer outras atividades, que não arrumar estoque, que possam agregar mais valor para sua empresa, você ganha uma economia de R$1000.

Gestao de estoque

“Não é R$1000 que entra no bolso, pago o salário de qualquer forma”

Tudo bem, mas se pensarmos em atividades que agregam valor, por exemplo, já citamos a descoberta de uma empresa que começou a fazer apontamento de produção, em um projeto de consultoria que a Nomus participou há muitos anos atrás, descobriu-se que o pessoal perdia um tempo enorme de máquina funcionando com a limpeza da máquina. Os operadores paravam para fazer a limpeza da máquina. A solução encontrada nessa ocasião foi mudar o horário de trabalho dos funcionários. Os ajudantes passaram a almoçar com uma hora de antecedência e na hora do almoço dos operados, os ajudantes limpavam a máquina. Ganharam, aproximadamente uma hora, por dia, por máquina, em limpeza de máquina. O responsável pelo almoxarifado pode fazer uma atividade parecida com essa, limpando a máquina em um horário de almoço diferenciado. Ou você pode pensar em outra possibilidade, vai da sua criatividade. Você não ganha somente esses R$1000, ganha em tempo de máquina.

Aí você pode pensar, “se o funcionário tem 20 horas de almoço por mês, que ele pode trabalhar como ajudando, limpando a máquina, e vou ganhar essas 20 horas de máquina por mês e vendo a hora de máquina por R$100, por exemplo, estou ganhando, vindo direto pro meu bolso R$2000”. Imagina nas outras horas, ele poderia fazer outras atividades que agregam valor.

Vamos pensar em atividades que vão gerar valor, que vão gerar dinheiro, que você não pensa na economia, pensa no dinheiro que vai ganhar a mais, por estar com menos estoque de matéria prima, por não ter excesso de estoque de matéria prima.

MRP

O mais bacana é que a ferramenta vai te ajudar a reduzir seu nível de estoque sem comprometer seu nível de serviços, seu atendimento ao cliente, ou seja, você não vai atrasar entregas, não vai ter falta de produtos acabados na prateleira para vender, conseguindo manter esse nível com mais excelência.


Compartilhe esta matéria:


Tags: ,


Engenheiro Mecânico Industrial formado na UERJ e especialista em implantação de sistemas de gestão Industrial na Nomus. Thiago já atuou em fábricas de diversos setores, como: Embarcações, perfuração submarina, metal-mecânica, materiais de escritório, alimentício, cosméticos e tubulação.