Conheça a importância do Data Driven no marketing industrial

Atualizado em 9/04/20 - Escrito por Equipe Nomus na(s) categoria(s): Marketing e vendas

Planilha de ressuprimento

Você já ouviu falar no Data Driven? À primeira vista, a palavra pode nos remeter a algo extremamente tecnológico, próprio da evolução dos meios que vivemos hoje. 

No entanto, o Data Driven já era usado muito antes das modernas tecnologias, principalmente, por empresas atentas às tendências do mercado.

Em tradução, Data Driven significa “dirigido por dados”. Na prática, o conceito é incorporado às estratégias de marketing, como forma de tomar decisões, obter insights e investir em inovações, com base nos dados obtidos sobre o seu negócio.

Em síntese, o conceito de Data Driven Marketing está baseado em um método inteligente de coletar, analisar e organizar as informações, para incorporá-las à uma determinada estratégia de marketing, para ter melhores resultados.

Atualmente, em meio ao turbilhão de informações disponíveis online, em redes de computadores e em dispositivos móveis, o Data Driven aparece como um importante instrumento de marketing.

Pois, lida não apenas com a quantidade de dados, mas com a qualidade deles.

Na última década, foram produzidos 90% de todos os dados disponíveis no mundo. 

Essas informações capturadas todos os dias, quando acessamos o nosso e-mail, procuramos algo na internet ou enviamos alguma informação a algo ou alguém.

Contudo, os dados soltos simplesmente não bastam para o Data Driven. 

Eles precisam ser refinados e transformados em mensurações, isto é, em uma inteligência capaz de gerar riqueza de informações para as empresas.

Neste artigo, vamos tratar um pouco de como o Data Driven tornou-se um importante instrumento no Marketing e como aplicá-lo como parte do planejamento de marketing nas indústrias. 

Data Driven Marketing: o que é e principais características

De acordo com uma previsão realizada pela International Business Machines Corporation (IBM), mais de 75% das empresas irão utilizar a metodologia do Data Driven para criar soluções inteligentes no mercado para os próximos anos.

Ou seja, cada vez mais, as marcas estão compreendendo para quem, como, onde, quando e o porquê deve-se investir em determinada estratégia, ao invés de outra.

Dessa forma, são capazes de tomar melhores decisões e personalizar campanhas.

A coleta de dados pode ser feita de inúmeras formas, tais como:

  • Pesquisas de mercado com a concorrência;
  • Pesquisas de mercado com o público;
  • Cadastro de clientes;
  • Monitoramento de páginas da web;
  • Monitoramento em redes sociais;
  • Ferramentas de automação de marketing.

Com o Data Driven, as decisões e ações tomadas pela empresa são baseadas em números e dados, não em “achismos”. 

Assim, é possível direcionar os esforços, em conjunto com o marketing de dados.

Desse modo, fica mais fácil implementar uma determinada estratégia. 

Por exemplo, em serviços de corte e dobra de chapas, atividade que consiste no recorte de um determinado material, em uma dimensão e espessura desejada pelo cliente.

Já se pode ter uma infinidade de dados, a respeito do propósito do corte, bem como as finalidades do serviço para o comprador.

A partir desses dados, a indústria pode pensar em novas soluções para divulgar o serviço, de acordo com as informações obtidas sobre os clientes. Ou, até mesmo, investir em um novo maquinário ou inovação, diante das análises dos dados.

Portanto, o Data Driven no marketing, inclusive no industrial, é usado para otimizar estratégias e processos de campanhas.

Para que as organizações descubram as tendências de mercado, acompanhem o comportamento dos clientes e direcionam as ações.

Veja também: A tomada de decisão nas empresas, como melhorar?

Mas, por que aplicar o Data Driven na indústria?

O Data Driven diz respeito, especialmente, ao relacionamento com os clientes. Muito disso, deve-se ao fato dos principais dados obtidos serem oriundos dos compradores, para nortear as estratégias de marketing e vendas.

Na indústria, é preciso saber que estamos lidando com negócios B2B (Business to Business), isto é, organizações que vendem para outras organizações, não para o consumidor final.

Então, qual é a vantagem de aplicar o Data Driven?

Ora, as campanhas para negócios B2B são extremamente específicas, pois lidam com um público que conhece sobre o assunto. 

Por exemplo, as empresas que procuram por Cilindro hidráulico precisam aplicar a peça em um circuito hidráulico, o que por si só já é algo bastante específico.

Assim, com o Data Driven, é possível definir se uma determinada mensagem ou conteúdo é realmente relevante aos compradores, ainda mais em um segmento altamente especializado como o industrial.

Através de uma tecnologia que utiliza Inteligência Artificial, Machine Learning e Cloud Computing, pode-se saber se aquele determinado conteúdo é, de fato, de qualidade, e vai ser significativo para o público.

Além disso, com uma estratégia de marketing industrial dirigida por dados, é possível:

Em um ambiente corporativo cada vez mais exigente e concorrido, aplicar o Data Driven como parte da estratégia no marketing industrial pode ser a chave para alcançar notoriedade, autoridade e aumentar as chances de vendas.

Confira dicas de como usar o Data Driven no Marketing Industrial

Em uma estratégia, pode ser difícil imaginar o porquê do Data Driven como parte de campanhas. 

Entretanto, após conhecer os benefícios das ações dirigidas por dados, fica muito mais fácil elaborar planejamentos.

Ademais, é preciso ressaltar a diferença entre coletar dados de um cliente, comprador e processo, da estratégia vinculada ao Data Driven no marketing industrial.

Isso porque somente a coleta não é suficiente, é preciso saber interpretar as informações obtidas.

Afinal, para saber as preferências de um cliente sobre corte a laser em MDF, é necessário coletar dados a respeito disso, interpretar as informações para, assim, desenvolver uma estratégia personalizada.

Abaixo, confira algumas dicas de como aplicar o Data Driven no planejamento de Marketing Industrial.

1 – Saiba onde os compradores estão

Os negócios B2B possuem uma particularidade, quando comparados aos B2C (Business to Costumer, isto é, para o consumidor final), normalmente, os compradores se encontram em sites especializados, ou até mesmo, em um relacionamento direto com a empresa.

Por conta disso, é fundamental saber onde os seus compradores estão para fornecer conteúdo no local apropriado.

Afinal, de nada vale produzir um conteúdo de alta qualidade sobre grade de piso no Facebook, mas as empresas de construção civil, que são as principais compradoras do produto, pouco utilizam essa rede social.

Nesse sentido, o Data Driven pode ajudar a descobrir onde o seu público está, por meio dos dados do fornecedor de anúncios, como o Facebook e Google.

Além disso, com essa ferramenta de análise de dados, é possível ter em mãos diversas informações não só sobre os melhores canais.

Mas também, qual é o melhor momento para alcançar um cliente, quais ofertas são mais eficazes e como enviar a mensagem aos compradores.

2 – Use ferramentas simples para um interpretação completa

Trabalhar com dados não significa ter relatórios altamente complexos, com gráficos de difícil compreensão e um conjunto de números aleatórios, altos e abundantes. 

Ao contrário, a interpretação do Data Driven é mais eficiente quando simplificada.

Por exemplo, ao invés de um quadro com vários números decimais e aproximados sobre o aumento de vendas com peças feitas em usinagem CNC, pode-se ter um gráfico. 

Com isso, a interpretação gráfica é muito mais simples, rápida e eficiente.

Além disso, não adicione novas tecnologias sem motivos. 

Em primeiro lugar, verifique se a ferramenta é realmente necessária para a sua estratégia com Data Driven, se a sua equipe está apta a utilizar o recurso e quais são os possíveis inconvenientes.

Devemos lembrar que a tecnologia está à nossa disposição para facilitar os processos, não complicá-los ainda mais.

3 – Faça a mensuração periódica dos resultados

O Data Driven também serve para que possamos aprender com os nossos erros.

Nem sempre, ao planejar uma campanha de marketing, de fato acertamos o direcionamento correto. 

Por exemplo, ao divulgar uma nova paleteira pelas redes sociais, o resultado não foi o esperado. No entanto, a mesma divulgação teve muito sucesso no blog.

Com o Data Driven, é possível colher informações sobre o porquê de determinada estratégia ter surtido efeito, enquanto outra campanha teve resultados negativos. 

Desse modo, aprendemos com essas falhas e podemos aprender o que dá certo e o que não dá.

Assim, para que a estratégia seja realmente data driven, é preciso mensurar os resultados para ajustar os esforços. 

Quando algo está funcionando, o que pode ser feito para melhorá-lo, como alterá-lo e como aplicar uma modificação.

O relacionamento com os clientes também é um aspecto importante, quando falamos de mensuração de resultados. 

Por conta disso, dê valor às opiniões e comentários dos compradores, verifique o que eles estão falando sobre a sua indústria, produto ou serviço, entre outras informações.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Planilha de ressuprimento

Compartilhe esta matéria: