Acidentes na indústria: veja os mais comuns e como evitá-los

Atualizado em 6/08/20 - Escrito por Acoplast Brasil na(s) categoria(s): Processos e Organização

Segurança no trabalho

Seja em uma indústria especializada em refinamento de petróleo, seja em uma fábrica de automóveis,ou em uma empresa que realiza manutenção em equipamentos, acidentes na indústria infelizmente não são situações raras.

O Brasil ocupa a quarta posição no número de acidentes de trabalho. Dados da Previdência Social apontam que entre os anos de 2014 e 2018 foi registrado 1,8 milhão de afastamentos por acidente de trabalho e 6,2 mil óbitos.

Além, obviamente da ameaça à saúde dos trabalhadores, esse triste cenário impacta de forma negativa a previdência social e gera prejuízos financeiros indústrias de diferentes segmentos.

Em vista disso, para que esse contexto seja minimizado, é muito importante que informações acerca dos principais tipos de acidentes de trabalho, bem como as maneiras de evitá-los, sejam difundidas ao máximo, para que assim cada vez mais colaboradores e empresas fiquem conscientes.

Principais acidentes de trabalho na indústria

Como já destacamos acima, se há atividades sendo desempenhadas que contenham riscos físicos, químicos e até biológicos, existe a possibilidade de ocorrer acidentes. Tratando especificamente do meio industrial, as ocorrências mais comuns envolvem queda de altura, choque elétrico, queda de objetos, cortes, ruídos excessivos, contusões e até mesmo amputações.

Queda de altura

Muito comum em qualquer área, esse tipo de acidente geralmente ocorre quando o colaborador atua de forma suspensa (em andaimes ou em cordas) ou quando há fluxo de pessoas em ambientes com desnível.

É importante frisar nesse ponto que a maioria dos acidentes dessa natureza ocorrem por negligência, isso porque muitas vezes o colaborador/empregador subestima o risco que uma tarefa feita em altura pode representar.

Essa perigosa postura pode acarretar na execução de tarefas que aparentemente não demonstram riscos, contudo, têm potencial para gerar graves acidentes na indústria.

Choque elétrico

O choque elétrico é um dos piores acidentes de trabalho que podem acometer um colaborador, isso porque quando não causa morte, ele pode deixar graves sequelas no corpo humano, como queimaduras, restrição de movimentos e cegueira.

Uma observação importante de ser mencionada para esse tipo de acidente é que a eletricidade é sem dúvidas a fonte de energia mais comum na indústria. Isso faz com que praticamente todos os colaboradores de empresas de diversos segmentos possam ser vítimas de choques, basta entrar em contato com algum fio desencapado ou uma fonte não isolada adequadamente.

Queda de objetos

Ao contrário do que muitos pensam, não precisa de um objeto ser pesado para ocasionar este grave acidente de trabalho. Para exemplificar, imagine uma chave de fenda (que muitas vezes pesa menos que 1 kg) caindo a uma altura de 15 metros. Mesmo sendo considerada uma ferramenta leve, a situação descrita tem potencial para ferir gravemente uma pessoa.

Por isso, a possibilidade de queda de qualquer objeto é um risco que precisa ser controlado em qualquer ambiente industrial, não dependendo assim da natureza das atividades desempenhadas.

Cortes

Acidentes que envolvem cortes são mais comuns para colaboradores que trabalham com o manuseio de objetos perfurantes, entretanto, ele também acomete pessoas que atuam em ambientes onde há objetos pontiagudos, na indústria metalúrgica em geral.

Ruídos excessivos

Existem milhares de processos industriais que geram ruídos intensos quando são executados. Esses ruídos até uma dada faixa de decibéis podem ser minimizados com a utilização de EPIs.

Entretanto, o problema é quando ocorrem situações onde a intensidade sonora é tamanha que mesmo com o uso do EPI a audição do colaborador pode ser prejudicada.

Em muitos casos, o alto volume de ruído pode ser causado por avaria provocada pela ausência de manutenção e monitoramento em equipamentos como motores, redutores de velocidade e motoredutores. Neste contexto, o ruído excessivo é um sinal de alerta e a causa deve ser investigada.

Confira nossas dicas para otimizar resultados industriais com manutenção e monitoramento!

Contusões

Esse talvez seja um dos acidentes de trabalho mais comuns dentro da indústria, já que as contusões podem ser causadas por diversos fatores, como má postura, içamento de cargas pesadas, movimentos repetitivos etc. 

A análise do perfil dos casos de acidente de trabalho notificados  no período de 2012 a 2018 divulgada pelo Observatório de Segurança e Saúde do Trabalho (SmartlLab) aponta que as lesões corporais mais frequentes são corte, laceração, ferida contusa, punctura, fratura, contusão e esmagamento.

Ações que reduzem acidentes de trabalho

Agora que já sabemos quais os principais tipos de acidentes que ocorrem na indústria, é interessante destacarmos quais são as medidas de segurança do trabalho mais comuns para evitá-los.

Boa sinalização

Sinalizar um determinado ambiente de trabalho que contenha risco é fundamental para a redução de acidentes, isso porque essa prática desperta a atenção visual dos colaboradores, o que naturalmente os colocam em um estado maior de vigilância e prudência.

Uso de Equipamento de Proteção Individual

O uso de EPI’s sem dúvidas é a principal forma de combater os elevados números de acidentes de trabalho nas indústrias. Isso porque o EPI muitas vezes permite ao colaborador realizar uma tarefa com os riscos sob controle, garantindo assim a sua saúde e conforto.

Capacitação profissional

Não é eficaz fornecer os EPIs adequados para colaboradores que não sabem utilizá-los da maneira correta, tampouco sabem da importância do seu uso. Por isso, é muito importante que empresas que convivem com riscos ocupacionais capacitem seus profissionais ao máximo, até porque funcionários capacitados executam tarefas de riscos de forma muito mais segura e produtiva.

A importância da garantia da segurança do trabalho

O elevado número de acidentes de trabalho é um dado alarmante em vários aspectos, seja pelo elevado número de colaboradores que se tornam vítimas, seja pela evidência de que negligências no quesito segurança do trabalho são comuns no meio industrial.

Deste modo, não é difícil de enxergarmos o porquê da importância da garantia da segurança ocupacional, já que ela:

  • promove a saúde humana e o conforto no trabalho;
  • reduz os números de acidentes;
  • diminui as necessidades de uma parada da produção;
  • minimiza impactos financeiros.

Portanto, após a leitura desse post podemos perceber com mais clareza como que os acidentes na indústria podem impactar de forma negativa em vários aspectos. 

Além disso, cabe ressaltarmos que é imprescindível para qualquer empresa a busca por melhores condições de trabalho em seus ambientes, já que dessa forma é possível reduzir a frequência dos acidentes e assegurar a saúde dos colaboradores.

A leitura do post acima foi válida para você? Então leia também, como implementar o programa 5S na sua empresa! 

Conteúdo desenvolvido pela Acoplast Brasil, empresa que está há 25 anos no mercado e é referência em acoplamentos, motoredutores, redutores, freios contra recuos e anéis de contração para o segmento industrial.

Nomus ERP Industrial

Compartilhe esta matéria:


Tags:




Participe! Deixe o seu comentário agora mesmo: