Calma! Sobra de materiais na produção tem solução

Atualizado em 25/06/18 - Escrito por Thiago Leão na(s) categoria(s): Logística / Processos e Organização / Produção

Problemas na gestão de estoques

Em uma indústria é comum se deparar com sobra de materiais na produção. Um exemplo são os cortes em chapas de aço e como proceder esse desperdício. Neste artigo trataremos dos processos necessários para reduzir os prejuízos e o que fazer quanto ao seu registro nas ordens de produção no SAP.

Nossa série, Papo de Produção, tem como objetivo tratar de uma maneira eficiente as questões e assuntos relacionados a gestão das indústrias. Desta forma, um leitor do Blog Industrial Nomus entrou em contato para que tratássemos de uma dúvida, e assim faremos.

Convidamos você a também entrar em contato no caso de dúvidas no ramo de gestão industrial. Será um prazer ajudar em sua compreensão criando materiais no Papo de Produção. veja também o vídeo abaixo, sobre sobra de materiais na produção:

Posso ajudar?

A dúvida do espectador é voltada para sobras de chapas de aço. Vamos a questão:

Boa tarde!

Pedro,

Por favor, você tem alguma publicação sobre sobras de chapas de aço, como proceder quanto ao seu registro nas ordens de produção no SAP?

Desde já lhe agradeço pela atenção.

Abraços

SAP

Trata-se de uma empresa de origem alemã, responsável por fornecer softwares de gestão de empresas. Atua em diversos setores no mercado em soluções de negócios colaborativos e multiempresas.

Sobra de materiais na produção

Nestes casos precisamos saber quais os destinos destas sobras. No exemplo das chapas de aço, onde existe a sobra de materiais após os cortes, por ser muito complicado trabalhar com determinadas geometrias.

Nas confecções de roupas acontece o mesmo, pelos cortes realizados no tecidos com moldes pré determinados. Após a retirada da parte de frente, costas, mangas e até golas, sobram retalhos, inevitavelmente.

O que fazer com as sobras?

Se as sobras de materiais na produção tiverem uma aplicação, utilizando em outro produto, é possível volta-la para o estoque de matéria prima. Caso ela não possa ser reaproveitada, talvez seja melhor vender como sucata, por sobrecarregar o estoque, gerando desorganização.

Em algumas empresas, que guardam as sobras, esses materiais acabam ficando perdidos, o que pode gerar danos.

Custos das sobras

No caso de voltar a sobra para o estoque, ela não será custo do produto que está sendo feito, e sim, do próximo. Se a situação for a movimentação para sucata, conseguindo a venda da mesma, também não é levado em conta como custo do item produzido, gerando uma receita não operacional.

Outras ideias

Nosso engenheiro Rafael Netto também comentou o assunto e acrescentou bastante na discussão, em prol de trazer outras soluções para as sobras de materiais na produção. Confira:

Acho que seria importante saber se essas sobras são reaproveitadas, se eles podem ser utilizadas em outras ordens de produção.

Por exemplo, tenho uma OP A que requisitou 100 kg de chapa e gerou uma sobra de 1 kg.

Esse 1 kg de sobra pode ser reaproveitado em outra OP?

Caso positivo, acho que não faz sentido carregar esse custo na OP A, e sim na outra OP que a sobra será requisitada.

Agora, se essa sobre não puder ser reaproveitada em outra OP, sugiro avaliar se a sobra tem algum valor comercial, se eles conseguem vender essa sobra.

Se eles não conseguem vender essa sobra, minha sugestão seria tentar carregar a sobra de 1 kg como custo na OP A.

Se eles conseguem vender essa sobra, sugiro tratar essa sobra como um subproduto da OP A, e esse subproduto voltará para o estoque de subprodutos, com o mesmo custo/kg da chapa.

E ao vender essa sobra, ele terá uma receita não operacional, e o custo da venda dessa sobra, pode ser considerado como uma despesa não operacional da empresa.

 

Veja na prática

É sempre um prazer poder esclarecer a dúvida de um espectador dos conteúdos Nomus. Participe dessa comunidade e ajude a compartilhar conhecimento gratuito. A Gestão de Custos pode mudar o rumo da sua empresa, levando a resultados fantásticos. Essas e outras praticidades podem ser vistas ao assistir uma apresentação do Nomus ERP Industrial, o software de gestão focado em indústrias e desenvolvido por engenheiros de produção.

Nomus ERP Industrial

Compartilhe esta matéria:


Tags: ,


Engenheiro Mecânico Industrial formado na UERJ e especialista em implantação de sistemas de gestão Industrial na Nomus. Thiago já atuou em fábricas de diversos setores, como: Embarcações, perfuração submarina, metal-mecânica, materiais de escritório, alimentício, cosméticos e tubulação.


Participe! Deixe o seu comentário agora mesmo:




Junte-se a 47.312 gestores e profissionais da indústria

Receba dicas semanais de engenheiros de produção direto no seu email e turbine sua a gestão da sua indústria. Inscreva-se gratuitamente:


Seu email está seguro e você nunca receberá spam