O que é e qual a diferença entre produto preferencial e produto alternativo

Atualizado em 21/02/20 - Escrito por Celso Monteiro na(s) categoria(s): Engenharia de produto / Processos e Organização / Produção

Comprar ERP

Você pode não estar familiarizado com os nomes, porém, tenho certeza que após a explicação certamente você vai se identificar com o assunto. A identificação, na lista de materiais dos produtos fabricados, de componentes Preferenciais e Alternativos é uma demanda muito recorrente nos projetos de implantação que assumo.

Mas, afinal de contas, o que são produtos (componentes) preferenciais e alternativos ?

O Produto (componente) preferencial é o item que deve ser utilizado como padrão, é o que confere melhor qualidade ao produto fabricado e que , teoricamente, a empresa possui mais disponibilidade em estoque, já que pela sua natureza este deve ser mais o mais consumido na produção.

Já o Produto (componente) alternativo é aquele que, na falta do preferencial, pode ser utilizado  na produção de um determinado produto.  

Podem ocorrer casos em que um produto seja alternativo em uma lista de materiais, porém, dentro da estrutura de outro, ele seja o preferencial. Isso, logicamente, será delimitado pelas características de cada produto e como cada componente reage às operações de fabricação deste produto fabricado.

Identificação dos produto preferencial

Nesta etapa a Engenharia ou setor de desenvolvimento de produtos precisa montar a lista de materiais dos produtos fabricados pela empresa.

Na lista de materiais são identificados todos os componentes que farão parte da estrutura do produto fabricado, bem como suas respectivas quantidades. Esse trabalho deve trazer, obrigatoriamente, todos os produtos preferenciais para a produção do pai da estrutura.

LEIA MAIS – Como configurar uma lista de materiais perfeita para uma indústria

Identificação do protudo alternativo

A identificação do alternativo é algo opcional. A obrigatoriedade é a dos preferenciais, porém, caso a Engenharia ou setor de desenvolvimento de produtos identifique que um ou mais componentes da estrutura podem ser substituídos pontualmente por outros produtos, estes devem ser sinalizados na lista de materiais.

Segue um exemplo de estrutura onde estão sinalizados todos os componentes, sejam preferenciais ou alternativos.

Neste exemplo vemos produtos com fundo branco, amarelo e cinza. Os produtos com fundo branco são produtos preferenciais e que não possuem qualquer alternativo para substituí-los. Já o componente com fundo amarelo “DR 009 – Pigmento Master branco” é um componente preferencial e que possui um alternativo, localizado logo abaixo dele com fundo cinza (DR 025 – Pigmento Master branco alternativo) .

Utilização em ordens de produção

Após a identificação dos componentes da lista, agora será possível abrir ordens de produção para a fabricação do produto pai da estrutura e na tela de Requisição pela produção identificar qual componente será utilizado na ordem de produção, já visualizando o saldo em estoque de cada produto.

Na imagem acima podemos verificar que o componente preferencial “DR 009 – Pigmento Master branco” possui saldo em estoque 10,45Kg , enquanto o seu alternativo possui saldo de 71,87Kg . Como a necessidade é de 20Kg tanto para o preferencial quanto para o alternativo, se utilizarmos o produto preferencial o seu saldo não é suficiente para atender a demanda da ordem. Portanto, neste caso, o ideal seria requisitar o seu alternativo que possui quantidade em estoque suficiente para atender a produção.  

Benefícios

Os benefícios de utilizar essa modelagem são rapidez na troca do material a ser utilizado na ordem de produção, assertividade no controle de estoque e melhor estruturação da lista de materiais, quando todo os possíveis componentes do produto são identificados pela Engenharia e a produção possui mais autonomia para conseguir contornar eventuais problemas de falta de material.

LEIA MAIS – Bloco K do Sped Fiscal: entenda o que é, para que serve e prepare-se

Outra questão importante que a modelagem de Produtos preferenciais e alternativos consegue atender é a obrigação do Bloco K, que já consegue prever essa situação e aceita que a lista de materiais de cada produto pode sofrer alterações de materiais durante a produção. Logo, ao configurar a lista de materiais com essa modelagem, você também estará se enquadrando nessa obrigatoriedade que em breve o governo irá requerer das indústrias.

Colocando em prática

Se interessou pelo assunto? Acha que seus produtos fabricados possuem essa complexidade também? Assista agora mesmo a uma demonstração do ERP Industrial e saiba como a Nomus pode ajudar.

Nomus ERP Industrial

Compartilhe esta matéria:


Tags:


Engenheiro de Produção formado pelo CEFET e especialista em implantação de sistemas de gestão Industrial na Nomus. Celso já atuou em fábricas de diversos setores, como: metal-mecânica, materiais de escritório, artefatos de concreto, perfuração, cabos e cordas navais, têxtil (confecção e tinturaria), reciclagem de metal, dentre outros segmentos.


Participe! Deixe o seu comentário agora mesmo:




Junte-se a 47.312 gestores e profissionais da indústria

Receba dicas semanais de engenheiros de produção direto no seu email e turbine sua a gestão da sua indústria. Inscreva-se gratuitamente:


Seu email está seguro e você nunca receberá spam