Preço de venda baixo: vender barato pode custar caro

Atualizado em 25/06/18 - Escrito por Thiago Leão na(s) categoria(s): Custos e Finanças / Estratégia

Custos industriais

Certamente você já pensou em abaixar os preços para vender mais. Para o consumidor é ótimo, mas nem sempre é uma tarefa fácil formar o preço de venda dos produtos. Vender com o preço de venda baixo, ou seja, mais barato do que o necessário, pode trazer prejuízos a sua empresa.

Neste artigo você pode conferir em vídeo e a transcrição completa do vigésimo primeiro Dores da Indústria, onde falamos sobre ter um preço de venda baixo e vender mais barato do que o necessário. Mostramos como buscar a solução para esse grupo de dores da Gestão de Custos.

VEJA MAIS – Como formar o preço de venda de um produto e maximizar o lucro da sua fábrica

Talvez você nem saiba como esse problema possa estar afetando sua indústria. Assista o vídeo abaixo e veja como sua empresa pode estar perdendo dinheiro e como tratar essa dor:

Espero que este vídeo tenha ajudado a abrir seus olhos para este problema, seus impactos e também como resolvê-lo. Se você gostou deste material, curta, compartilhe e deixe seu comentário. Vamos criar uma comunidade de gestores e profissionais que se ajudam e aprendem juntos. Participe!

Aguarde o próximo vídeo da série Dores da Indústria, toda quinta-feira, no Blog Industrial. Enquanto aguarda, assista uma demonstração do nosso ERP Industrial e também acompanhe o Papo de Produção.

Veja os outros vídeos da série Dores da indústria

Preço de venda baixo: vender barato pode custar caro

No último artigo voltado ao Dores da Indústria falamos sobre vender mais caro do que o necessário, com um preço de venda alto. Agora vamos falar do contrário, sobre vender mais barato do que se pode ou deve e o impacto financeiro que isso pode causar.

Essa dor pode parecer óbvia, mas existem truques por trás disso. Na formação do preço, se você olha apenas as referências de mercado sem notar os diferenciais do seu produto, deve pensar melhor. É preciso notar que a venda dos produtos gera uma contribuição para o resultado final da sua empresa.

Por trás dos produtos existem custos diretos e variáveis, que são relacionados a produção do mesmo. Por exemplo, a matéria prima utilizada, seja ela plástico, metal ou semelhante.

Alguns custos são variáveis e só vão existir se você produzir e vender o produto. Desconhecendo a formação dos custos, pode ser que neles mesmos você gaste mais do que o preço de venda baixo estipulado. Assim, o produto não gera uma margem de contribuição.

Preço de venda

para essa formação do preço de venda é necessário ter o conhecimento de toda sua estrutura de custos, para saber se o preço pago no mercado é compatível com a sua estrutura. Caso não seja, você terá a oportunidade de rever se vale a pena produzir aquele item ou não, até mesmo melhorar os processos de produção, fazendo com que o produto passe a ser competitivo.

Com o preço de venda baixo, a cada venda você está perdendo dinheiro. É praticamente inviável você saber essa informação sem fazer a gestão de custos, que é o tratamento para essa dor. Como calcular o que está sendo perdido sem antes fazer o preço de venda? É essencial saber o custo do que é produzido.

Provavelmente você vai ficar sem saber os números reais referentes a isso, mas é possível fazer estimativas. Por exemplo, você acaba perdendo R$ 1 a cada produto que é vendido. Tudo bem, casou soubesse disso poderia cobrar mais caro, mas, sem ter certeza se o mercado irá comprar ou não. Assim, o fundamental é saber a estrutura de custos para saber o quanto está sendo perdido quando se aplica um preço de venda baixo.

Veja na prática

É preciso que você leve para a realidade da sua indústria para descobrir o quanto você está perdendo de vendas por estabelecer um preço de venda baixo. A Gestão de Custos pode mudar o rumo da sua empresa, levando a resultados fantásticos. Essas e outras praticidades podem ser vistas ao assistir uma apresentação do Nomus ERP Industrial, o software de gestão focado em indústrias e desenvolvido por engenheiros de produção.

Nomus ERP Industrial

Compartilhe esta matéria:


Tags: ,


Engenheiro Mecânico Industrial formado na UERJ e especialista em implantação de sistemas de gestão Industrial na Nomus. Thiago já atuou em fábricas de diversos setores, como: Embarcações, perfuração submarina, metal-mecânica, materiais de escritório, alimentício, cosméticos e tubulação.