4 erros comuns na gestão industrial e como evitá-los

Atualizado em 24/02/16 - Escrito por Marcos Leite na(s) categoria(s): Logística / Produção

Este artigo foi escrito pelos nossos parceiros da Artsoft Sistemas

4-erros-comuns-na-gestão-industrial-e-como-evitá-los

Administrar qualquer tipo de negócio não é tarefa simples e conta com inúmeros fatores que necessitam de atenção constante, certo? No setor industrial, percebo que, com minha experiência, esta administração fica ainda mais complicada, tendo em vista que a carga de responsabilidade é multiplicada pelos grandes números envolvidos: vários funcionários, patrimônios, processos e demandas externas.

Entenda no post de hoje, uma parceria entre a Nomus Industrial e a Artsoft Sistemas, quais os erros de gestão industrial mais comuns e o que se pode fazer para evitá-los. Continue lendo:

1. Logística fragmentada e ineficiente

Um bom gestor sempre procura atualizar os processos internos de seu negócio. As indústrias em geral são extremamente dependentes de uma logística unificada, eficiente e dinâmica, capaz de adaptar-se aos mais diversos entraves e problemas inesperados. Portanto, cabe ao administrador verificar quais os elos na cadeia produção-transporte estão lentos ou inertes e ainda quais que necessitam de manutenção e/ou atualizações urgentes. Sem isso, a indústria corre o risco de atrasar demandas e perder dinheiro por vários escoadouros.

O investimento inteligente em novos maquinários, em formas de estoque mais eficientes e em linhas de transporte mais rápidas podem fazer enorme diferença no sucesso comercial de uma fábrica, seja a curto ou a longo prazo.

Leitura adicional indicada:

2. Demandas suportadas mal calculadas

Outro erro comum de gestão é não adequar as capacidades reais de produção de uma indústria às demandas com as quais esta se envolve. Muitas vezes, compromissos impossíveis de serem honrados a tempo são feitos e o negócio corre o risco de ficar extremamente sobrecarregado e ainda criar um clima de desconfiança em relação aos seus clientes.

O administrador deve ter a capacidade de avaliar quais são as factuais habilidades e possibilidades de sua indústria; isto de acordo com o somatório da capacidade de produção, da equipe disponível e da rapidez de distribuição. Qualquer demanda que exceda muito estes limites deve ser recusada.

É recomendável extrema cautela quando o gestor decide aumentar as capacidades de sua fábrica, já que maior produção pode aumentar as receitas, mas também geralmente aumenta as despesas. Um crescimento estável e uniforme é preferível a aumentos súbitos e grandes de produção.

Leitura adicional indicada:

3. Equipe mal alocada

Uma indústria é um organismo dinâmico que depende integralmente de seus funcionários e do modo como estes trabalham. O excesso ou escassez de trabalhadores em determinado setor deve ser evitado e é função do administrador da fábrica avaliar e achar este equilíbrio.

Além disso, a indústria deve ser capaz de utilizar as habilidades integrais de seu pessoal a fim de assegurar eficiência máxima.

A equipe deve sempre ser empregada onde terá utilidade maior e onde poderá exercer totalmente seu potencial. Trabalhadores ociosos ou utilizando as habilidades erradas podem gerar perdas enormes de dinheiro e de produção geral para a indústria.

Leitura adicional indicada:

4. Informações desorganizadas e soltas

O gestor de uma indústria deve ter em mãos ferramentas capazes de unificar todas as informações relevantes de sua empresa; isto é, os dados relativos à produção, ao estoque, pessoal, à contabilidade, às demandas e às responsabilidades devem estar facilmente acessíveis.

O que acontece frequentemente, entretanto, é que várias indústrias fragmentam as suas informações e as deixam desorganizadas, acumulando pilhas de documentos inúteis. Dessa forma, a gestão fica incapaz de saber qual é o real estado do negócio e toma invariavelmente decisões ruins ou infundadas.

Soluções informatizadas, que visam organizar e dar fácil acesso a informações aos gestores, são ótimas opções para obter diagnósticos precisos da indústria, assim como garantir uma maior integração e comunicação da equipe, agilizando todos os processos da empresa e diminuindo as chances de atrasos e problemas sem soluções aparentes. Saiba aqui como aumentar a produtividade da sua indústria com um sistema de gestão integrado.

Leitura adicional indicada:

Identificou estes problemas? hora de agir.

Agora é a sua vez de colocar a mão na massa! Você consegue analisar o seu negócio e identificar algum desses erros que citamos? Para te dar uma ajudinha neste processo, recomendo a palestra online “10 passos para excelência na gestão da produção“, em parceria com a Artsoft Sistemas, onde o engenheiro e sócio da Nomus, Rafael Netto, apresenta os principais problemas enfrentados pelas indústrias e como resolvê-los na prática, utilizando um sistema de gestão. Clique aqui para assistir.
software-para-industria-em-pcp


Compartilhe esta matéria:


Tags:


Diretor Comercial da Artsoft Sistemas [email protected] | 0800 701 3216 | Blog Artsoft Sistemas


3 Comentários

  1. Jorge Tadeu Duarte Romano says:

    Gostei do artigo, sobre o item 2( Demandas suportadas mal calculadas) seria legal vocês falarem em um próximo post sobre o efeito chicote.

  2. Daniel Rocha Costa says:

    Estou planejando cursar Gestão da Qualidade, as dicas são ótimas

Participe! Deixe o seu comentário agora mesmo: