Programação da produção não serve mais, qual meu prejuízo?

Atualizado em 25/06/18 - Escrito por Thiago Leão na(s) categoria(s): Engenharia de produto / Processos e Organização / Produção

Programação da produção

As melhoras da Programação da Produção podem ser muito significativas. Não saber o que fazer quando a programação da produção não serve mais pode causar muitos danos para a sua indústria. Neste artigo vamos mostrar para você o prejuízo que não ter esse conhecimento pode gerar na sua produção. Uma vez que tem ciência da gravidade fica mais fácil pensar em uma forma de buscar uma forma de melhoria.

Neste artigo você pode conferir em vídeo, seguindo a série Dores da Indústria, onde trazemos tratamentos para seus problemas.

VEJA MAIS – Primeiros passos para implantação da programação da produção industrial (PPCP)

Talvez você nem saiba como esse problema possa estar afetando sua indústria. Assista o vídeo abaixo e veja como sua empresa pode estar perdendo dinheiro e como tratar essa dor:

Espero que este vídeo tenha ajudado a abrir seus olhos para este problema, seus impactos e também como resolvê-lo. Se você gostou deste material, curta, compartilhe e deixe seu comentário. Vamos criar uma comunidade de gestores e profissionais que se ajudam e aprendem juntos. Participe!

Aguarde o próximo vídeo da série Dores da Indústria, toda quinta-feira, no Blog Industrial. Enquanto aguarda, assista uma demonstração do nosso ERP Industrial e também acompanhe o Papo de Produção.

Veja os outros vídeos da série Dores da indústria

Não leve muito tempo para programar a produção: o que fazer depois de programar?

O que fazer quando terminar de programar sua produção e ela não serve mais? Você leva horas (podendo chegar a dias) para implantar a programação da produção a partir de uma situação imediata. Ao terminar de programar o que foi considerado no início não vale mais, por já ter processado seus itens,levou mais tempo do que o previsto ou ocorreu algum imprevisto.

Normalmente o tempo para programar a produção não pode ser excessivo. É preciso fazê-la com uma ferramenta adequada, com recursos computacionais avançados para ser feita rápida e quando seja concluída ainda esteja valendo.

Perda financeira

Quanto está perdendo ou deixando de lucrar por essa dor? A partir da conscientização de que o valor perdido com esse problema é menor que o investimento para tratá-lo, além de outros transtornos, vai servir como motivação.

Existem várias perdas possíveis nessa situação. Um problema simples de tomar nota é o tempo dedicado pelo colaborador, o funcionário responsável pela programação da produção no PCP.

Redução da equipe de PCP (Colaboradores foram alocados para outras áreas)

Recentemente fizemos um caso de sucesso com a empresa SH Fôrmas, onde nos deparamos com um exemplo que serve muito bem para esse artigo. Na situação mostrada abaixo as pessoas foram melhor aproveitadas em outros setores, gerando resultados financeiros. Confira:

O setor de PCP, antes de trabalhar com o Sistema Nomus, tinham quatro pessoas dedicadas às funções da área. Desde a emissão de ordens de produção, que tomavam mais tempo, até a parte do controle, dia a dia na fábrica, entender a produção. Agora trabalham apenas duas pessoas no processo, reduzindo em 50%, pela facilidade trazida com o sistema de gestão, na emissão de OPs, no rastreamento.

VEJA MAIS – 6 resultados impressionantes da gestão da produção em uma indústria real

Hoje é possível saber exatamente as OPs que estão na produção, conseguindo verificar, de uma maneira muito rápida, problemas ocorridos. Isso permitiu enxugar o setor de PCP.

Quando se fala de redução de quatro para duas pessoas, imaginam onde foram parar esses colaboradores. Não tem só o lado de gerar uma demissão, e sim de aproveitar melhor o setor e aproveitar essas pessoas, direcionando para outros setores da empresa.

Também foi possível reduzir o número de horas extras, que não apenas representam economia, mas também qualidade de vida para os trabalhadores e essa foi outra redução importante.

Ficou muito mais simples gerar as OPs e fazer o controle da produção. Além da redução de pessoas, foi possível agregar mais tarefas para o Setor de PCP, que é o coração da empresa, estando envolvido em todas as negociações. Seja no comercial, suprimentos, produção, almoxarifado, o PCP consegue, com o tempo reduzido, se relacionar com outros setores e fazer programações mais assertivas, de compras para estoque, trabalhar com estoque de matéria prima menor, por saber exatamente o quanto será preciso de cada material.

Custo do colaborador

Para simplificar a explicação, o custo de um colaborador responsável pela programação da produção, geralmente nível técnico ou superior em Engenharia, com um salário que pode girar em torno de R$ 5 mil.

Ao melhorar o trabalho do colaborador, até o colocando em outra função, onde pode ser mais aproveitado, gera melhoria financeira para sua empresa através dos encargos antes utilizados sem melhorar sua programação da produção.

Veja na prática

É preciso conhecer suas dores para tratá-las da melhor maneira possível. A partir do momento que tiver ciência do quanto está perdendo de dinheiro irá se incentivar para melhorar seus resultados. A Nomus possui um software de gestão ERP especializado no segmento de indústrias, que tem um modo de programação fina da produção e te ajudará a prometer prazos de entregas realistas. Essas e outras praticidades podem ser vistas ao assistir uma apresentação do Nomus ERP Industrial, o software de gestão focado em indústrias e desenvolvido por engenheiros de produção.

Nomus ERP Industrial

Compartilhe esta matéria:


Tags: ,


Engenheiro Mecânico Industrial formado na UERJ e especialista em implantação de sistemas de gestão Industrial na Nomus. Thiago já atuou em fábricas de diversos setores, como: Embarcações, perfuração submarina, metal-mecânica, materiais de escritório, alimentício, cosméticos e tubulação.