O fantástico impacto de medir a produtividade dos colaboradores

Atualizado em 8/07/21 - Escrito por Pedro Parreiras na(s) categoria(s): Custos e Finanças / Processos e Organização / Recursos Humanos

Guia

Você sabe quais são as dores da sua indústria? Quais problemas te impedem de crescer e expandir seu negócio? Começa a série Dores da Indústria, onde mostramos para você o tratamento adequado para solucionar suas dificuldades.

Neste artigo você pode conferir em vídeo e a transcrição completa do décimo oitavo Dores da Indústria, onde falamos sobre não conseguir medir a produtividade de meus colaboradores. Mostramos como buscar a solução desse grupo de tratamento voltado ao apontamento da produção.

VEJA MAIS – 6 dicas para implantar o apontamento no chão de fábrica

Talvez você nem saiba como esse problema possa estar afetando sua indústria. Clique no vídeo e veja melhor o tratamento dessa dor:

Esperamos ter te ajudado a identificar e tratar esse sintoma. Curta o vídeo, compartilhe e faça seu comentário, para podermos responder mais dúvidas. Sua interação é muito importante para nós.

Aguarde o próximo vídeo da série Dores da Indústria, toda quinta-feira, no Blog Industrial. Assista uma demonstração do nosso ERP Industrial e também acompanhe a Nomus no Papo de Produção.

Veja os outros vídeos da série Dores da indústria

O fantástico impacto de medir a produtividade dos colaboradores

Continuamos falando das dores tratadas pelo apontamento da produção e mais uma vez o assunto é produtividade. Anteriormente falamos sobre não consigo medir a produtividade das minhas máquinas e nesse artigo falaremos sobre não conseguir medir a produtividade de meus colaboradores, buscando medir o impacto financeiro através da série Dores da Indústria.

Impacto financeiro

Quanto dinheiro você pode ganhar se começar a medir a produtividade dos colaboradores? Pensando de uma maneira mais prática, a produtividade é fazer mais com menos. Quando falamos da produtividade das pessoas, basicamente, buscamos saber o quanto o colaborador está produzindo em um dado intervalo de tempo. Ao implementar uma ferramenta com o recurso de apontamento da produção, que é o tratamento para essa dor, conseguimos ter essa medida.

Um ganho imediato é poder fazer benchmark. Nos primórdios da Engenharia de Produção, os estudos de administração científica do Taylor, compara o resultado de diferentes trabalhadores. Essas comparações de produtividade podem ser chamadas de benchmark.

Não estou falando que vai, necessariamente, dar uma punição, dispensar a pessoa com menor produtividade. A ideia é criar um ambiente de aprendizado das causas de diferença de produtividade.

Por exemplo…

Temos uma metodologia de medição e a minha produtividade é de 70%. Tenho um colega que a produtividade é de 80%, fazendo um trabalho muito parecido, com as mesmas máquinas. O que podemos fazer para aumentar minha produtividade? Estudar o que o colaborador mais produtivo faz de diferente. Se fez um curso, por exemplo, no fabricante da máquina utilizada. Então, é preciso buscar disponibilizar o mesmo curso para o colaborador menos produtivo. Vamos criar um ambiente de aprendizagem, de melhoria contínua dentro da indústria para poder trazer todos para o patamar de 80%. Assim, quando chegarmos a esse nível, iremos perceber colaboradores com produtividade ainda maior. Percebendo isso, vamos buscar novamente o que o colaborador mais produtivo faz de diferente. Fazendo esse ciclo de aprendizado, elevando a produtividade como um todo.

Veja mais – [PLANILHA GRÁTIS] Descubra o impacto da produtividade no seu lucro

Guia

Perda financeira

O impacto da produtividade no lucro é enorme! O ganho é muito grande e varia de indústria para indústria. De uma maneira geral, tornando o cálculo mais simples, supondo que a empresa tem um faturamento de R$80 mil e produtividade de 80%. Aumentando a produtividade para 85%, tenho chance de aumentar o faturamento para R$85 mil. Existem outros fatores que influenciam, por exemplo se o mercado irá comprar o excedente de produção.

Aumentando a venda em R$5 mil, por ter aumentado 5% da produtividade, estou ganhando menos de R$5 mil por ter custos de envolvidos, mas esse desembolso, na maioria das vezes são  custos variáveis (matéria primas, impostos, etc). Os custos fixos (mão de obra, máquina, etc) não variam com o aumento da produtividade.

Então, o interessante do aumento da produtividade é conseguir produzir mais e somente os custos variáveis aumentam. Assim, o aumento do lucro é muito maior que os 5%.

Calculando o lucro

Estamos falando de 80 mil para R$85 mil, supondo que tenha 50% de custos variáveis. Desta forma, estamos tendo um ganho de R$2,5 mil. Pensando ao invés de R$80 mil, R$800 mil, a empresa aumenta o faturamento em R$25 mil.

Mostramos aqui uma forma de calcular. Você pode usar planilha, lápis, papel, caderno, poderá ter muito mais precisão nas contas. Tem vários outros fatores envolvidos. Estamos fazendo estimativas para fazer você refletir, que realmente tem muita perda financeira por trás da falta de produtividade. Esperamos que com isso você tenha mais interesse em medir a produtividade de meus colaboradores.

Curiosidade

No Brasil existem algumas restrições da legislação trabalhista de gratificação por produtividade. Até pouco tempo atrás não era possível ter esses pagamentos, que existem em vários países e ajudam a aumentar a produtividade da empresa como um todo. Não tendo isso conseguimos mesmo assim ao medir a produtividade ter estímulos e mecanismos para produzir mais. Essas e outras praticidades podem ser vistas ao assistir uma apresentação do Nomus ERP Industrial, o software de gestão focado em indústrias e desenvolvido por engenheiros de produção.

Nomus ERP Industrial

Compartilhe esta matéria:


Tags: ,




Participe! Deixe o seu comentário agora mesmo: