Descubra qual o futuro do profissional de engenharia de produção

Atualizado em 18/09/18 - Escrito por Thiago Leão na(s) categoria(s): Processos e Organização / Produção

Glossario

Você que cursa ou pretende iniciar sua carreira acadêmica na Engenharia de Produção, deve-se perguntar como será o futuro dessa área. Por exemplo, como será a engenharia de produção em 2030? Essa dúvida é comum, pelo simples fato das grandes mudanças que ocorrem no mundo. Essa evolução pode ser um indício que tudo vai dar certo para o engenheiro de produção. Assim que buscamos responder ao leitor Vinicius Machado, que questionou, através do Papo de Produção: “Será que, daqui a mais de dez anos, o mercado de engenharia de produção vai ter bastante oportunidades?”

Calma, para responder tal pergunta não é necessário bola de cristal. Talvez com esse objeto fosse mais fácil chegar a uma conclusão. Mas vamos caminhar para esclarecer esse tema. Normalmente, usamos métodos estatísticos para fazer uma projeção futura, com base em informações que obtivemos no passado e/ou presente.

O que podemos desenhar sobre o futuro do engenheiro de produção tem como base as tecnologias e novas tecnologias, trazendo o possível impacto para o mercado da engenharia de produção. Certamente esse profissional não poderá ficar parado no tempo e precisará estar constantemente se desenvolvendo por meio de cursos complementares.

LEIA MAIS – A importância do profissional da engenharia de produção em uma indústria

Grade curricular da Engenharia de Produção

Iniciei no curso de Engenharia de Produção em 1998. Sim, já faz algum tempo. Fazendo um comparativo com a grade curricular, a qual prestei, na Universidade Federal do Rio de Janeiro, com a realizada na mesma UFRJ, em tempos atuais, notei que pouco mudou. Isso mostra como a preparação para os profissionais da área mantiveram-se estáveis, nesses 19 anos passados. Mostrando estabilidade na demanda do mercado de trabalho.

Uma grande mudança de lá para cá, foi a oferta de cursos de Engenharia de Produção. Ao entrar na faculdade, aquela era a única opção plena do curso, no município do Rio de Janeiro, existindo quatro, em âmbito estadual. Em uma pesquisa realizada em meados de 2011, verifiquei a existência de mais de 70 cursos de Engenharia de Produção, no estado do Rio de Janeiro. No Brasil existem cerca de mil opções da mesma graduação.

Veja a grade atual do curso de Engenharia de Produção na UFRJ – Curso de Graduação em Engenharia de Producao

Engenharia de Produção e sua generalidade

A tendência é que essas opções sigam aumentando, pelo fato de existir cada vez mais a demanda de profissionais da área pelas empresas. Essa procura se dá, principalmente pelas características de um profissional com uma formação genérica, com perfil técnico.

Ao longo dos períodos da Engenharia de Produção pode-se notar a presença de disciplinas de outras engenharias, o que confere uma característica multidisciplinar ao curso. Formação que indica a generalidade como especialidade do profissional da área, além das bases matemáticas, econômicas e estatísticas. Dessa forma, torna-se mais fácil a adaptação em diferentes atuações do mercado de trabalho.

Avanços e novas tecnologias – Engenharia de produção em 2030

Apesar das poucas mudanças de disciplinas da Engenharia de Produção, os professores se atualizam e preparam cada vez mais conteúdos ricos e avançados para os formandos. Dentre novas tecnologias que podem reforçar a importância do profissional da área, algumas se destacam:

  • Internet das coisas (IOT – Internet of Things)
  • Inteligência artificial
  • Impressora 3D
  • Análise massiva de dados

Conclusão

Caso você queira escolher a engenharia de produção como carreira ou tinha dúvidas sobre a área e seu respectivo mercado de trabalho, esperamos ter clareado suas ideias sobre o tema. E acreditamos sim, que o daqui a mais de dez anos, o mercado de engenharia de produção vai ter bastante oportunidades.

Software ERP projetado por engenheiros de produção

Compartilhe esta matéria:


Tags:


Engenheiro Mecânico Industrial formado na UERJ e especialista em implantação de sistemas de gestão Industrial na Nomus. Thiago já atuou em fábricas de diversos setores, como: Embarcações, perfuração submarina, metal-mecânica, materiais de escritório, alimentício, cosméticos e tubulação.


Um comentário

  1. Fernando Prince says:

    Olá, Pedro tudo bem? Já comentei em alguns vídeos no youtube a respeito sobre o trabalho da Nomus! Excelentes artigos! Sou formado em engenharia de produção, porém não consigo atuar nos moldes formais na área (CLT ou funcionário público) e estou começando a trabalhar com marketing digital. Hj de manhã acompanhei sua palestra sobre sua trajetória como empreendedor na Estácio de Sá.
    Desejo super sucesso para você e sua equipe com este projeto da Nomus! Abraço!

Participe! Deixe o seu comentário agora mesmo:




Junte-se a 47.312 gestores e profissionais da indústria

Receba dicas semanais de engenheiros de produção direto no seu email e turbine sua a gestão da sua indústria. Inscreva-se gratuitamente:


Seu email está seguro e você nunca receberá spam